Isadora Basile, apresentadora do Xbox Brasil, é demitida após receber ameaças de morte e estupro

Isadora Basile, a apresentadora do canal Xbox Brasil desde setembro deste ano, anunciou na noite desta sexta-feira (16) através do seu Twitter que foi demitida pela Microsoft.

Desde a sua contratação, Isadora tem sofrido constantes ataques e assédios, indo desde pessoas questionando a sua posição até ameaças de estupro e morte. Segundo a apresentadora, a Microsoft justificou o seu desligamento do cargo como “a melhor opção” para evitar que ela estivesse exposta a situações como essa.

“Graças ao apoio da minha família, namorado e amigos, aprendi a lidar bem com isso com o passar do tempo, mas isso não significa que não estava mais acontecendo. Devido a todos essas ataques, a Microsoft encontrou como melhor opção me desligar do cargo de apresentadora, para que não esteja mais exposta a situações como essas que se passaram”, escreveu em uma publicação no Twitter.

Posteriormente, em uma declaração cedida ao The Enemy, Isadora comentou sobre o caso, explicando que inicialmente a Microsoft e a GMD – agência responsável pela produção de conteúdo da marca Xbox no Brasil – deram apoio a ela para que pudesse lidar com a situação.

“Sim, eles sempre conversavam comigo pra me dar uma acalmada e ajudar a controlar a situação. Eu me blindei de ver algumas coisas, principalmente no Twitter, mas quando eu via algo muito pesado, eu sempre mandava pra eles.”

Entretanto, ela afirma que a sua demissão ocorreu por conta de uma “orientação do time global” não especificada, mas que aparentemente recomendava que não houvesse pessoas representando a marca Xbox em uma posição de exposição que poderia gerar esse tipo de ameaça.

“É um sentimento de impotência né? Abracei a marca com todo coração, fiz mais do que o necessário e amava meu trabalho. Perdi meu emprego porque as pessoas não sabem o que é respeito.”

Repercussão

Como era de se esperar, a demissão de Isabela gerou uma enorme repercussão e revolta no Twitter, com a sua publicação já tendo mais de 50 mil curtidas e 2 mil retweets. Além disso, os termos “Xbox” e “Microsoft” ficaram entre os assuntos mais comentados da rede social, com diversos usuários também aproveitando para marcar Phil Spencer, chefão da divisão Xbox, e o jornalista do Bloomberg Jason Schreier.

ATUALIZAÇÃO

Horas depois da publicação desta matéria, a Microsoft liberou um comunicado oficial no seu Twitter agradecendo a contribuição de Isadora e afirmando que as mudanças na equipe se tratam de uma “nova estratégia de conteúdo original” da marca no Brasil.

O caso de Isadora ocorre cerca de 4 meses após outra enorme polêmica envolvendo a empresa, em que os membros do canal Xbox Mil Grau foram abertamente, racistas, xenófobos, misóginos, homofóbicos e transfóbicos.

Nesse caso, uma enorme mobilização foi iniciada por Ricardo Regis, um dos fundadores de Nautilus, que contou com a participação de inúmeros usuários, incluindo Cory Barlog, o diretor de God of War, e Mark Hamill, o nosso eterno Luke Skywalker.

Após muita insistência, o canal do YouTube deles foi desmonetizado permanentemente, a conta Xbox Mil Grau foi banida da Twitch e eles perderam o direito de utilizar o nome da marca .

João Victor Albuquerque

Formado em Sistemas de Informação, que no final da faculdade resolveu se meter nesse mundo do jornalismo. Apaixonado por joguinhos, filmes, animes e sempre atrasado com as séries.