Categorias: Games

Empresas (e Gizmodo Americano) respondem negativamente à queda do DRM no Xbox One

A Microsoft respondeu ao consumidor e afrouxou uma série de restrições que seriam impostas ao Xbox One para “proporcionar um mundo mais seguro e melhor tanto a desenvolvedores quanto consumidores”. O que aconteceu após isso? Muitos fãs agradecerem à Microsoft por ter voltado à sensatez, já os desenvolvedores…

Cliff Bleszinski, da Epic Games (responsável por Gears of War, Infinity Blade, Bulletstorm etc), foi rápido a dizer que isso foi péssimo tanto para a indústria quanto para os jogadores. Segundo ele, graças a isso, estaremos próximos à idade das trevas dos videogames. “Mais estúdios vão fechar e vocês vão ver mais jogos de PC e de smartphones. Preparem-se, mais DLC e multiplayer estão a caminho. Vocês devem estar prontos para verem as microtransações irem nas alturas. Parabéns aos envolvidos”, declarou Blaseszinski.

Para a minha surpresa, não apenas executivos de empresas deram declarações do tipo. Segundo artigo postado no Gizmodo americano (que até o momento não pintou traduzido na contrapartida brasileira, menos mal), “nós acabamos de criar um Xbox One piorado”.

No artigo, assinado por Kyle Wagner, o Xbox One piorou por uma série de itens que foram removidos das características do Xbox One:

  • Ao comprarmos um jogo, ele ficaria atrelado à nossa conta e não ao console. Isso nos daria a possibilidade de baixarmos ele de outros lugares, como das casas de amigos.
  • A impossibilidade de vendermos os jogos usados em dois tempos online (ou a licença para o uso dele)
  • As publishers não ganhariam dinheiro com jogos usados
  • Novos jogos não vão ser mais baratos. Por quê? Bom, porque, como as companhias não iriam ganhar nada com jogos usados, elas seriam forçadas a cobrar mais da primeira compra. Ou seja, os jogos de Xbox One e PlayStation 4 teoricamente poderiam ser mais baratos, caso as companhias ganhassem algo com as vendas de usados.
  • O Xbox One nunca vai ter a chance de ser como a Steam é hoje em dia
  • Você não vai poder compartilhar jogos com até 10 pessoas

Enfim, o artigo, além da lista, divaga longamente sobre como deveríamos ter que ter dado um voto de boa fé na Microsoft para talvez num futuro nebuloso pagarmos menos por jogos. Poderia dar certo? É claro, assim como poderíamos nos foder lindamente com isso, o que provavelmente seria o caso, pois o Xbox One ganhou uma repercussão tão negativa com essas medidas que o console perigava não vender o suficiente para ser capaz de entregar essas quedas de preço prometidas.

O que vocês acharam dessa? Eu estou louco pra ver o que a EA pretende fazer a respeito dos passes online que ela havia extinguido pois a Microsoft já havia resolvido esse problema pra eles.

Este website utiliza cookies