[BGS 2013] Testamos o Nvidia Shield

Ontem foi o primeiro dia que eu estive na BGS, e diante de uma porrada de coisas para ver, por onde começar? Bom, começamos pelo Shield. O Android da Nvidia fez grandes promessas ao ser anunciado. Além de adicionar controles físicos ao Android, ele também promete rodar via streaming jogos de PC, para você que, como eu, é um preguiçoso gigantesco e quer ficar jogando deitado. Será que ele entrega?

À primeira vista, é impressionante como o Shield é compacto, porém robusto. O controle do portátil lembra o de um Xbox 360 e encaixa muito bem na mão. Eu testei alguns jogos otimizados para o Shield nele e um emulador de Super Nintendo, e todos rodaram muito bem, sem qualquer tipo de engasgo ou lag, mesmo para alternar entre uma janela e outra do Android.

Uma das principais  críticas no lançamento do Shield é que o aplicativo que fazia ele rodar jogos de PC via streaming ainda estava em Beta, e nem todos os jogos eram compatíveis com ele. Bom, segundo o representante da Nvidia que nos atendeu no estande deles, ontem, o software saiu do Beta e aumentou a compatibilidade de títulos com o Shield das centenas para milhares.

Outra coisa legal do Shield é que ele vem com uma faceplate magnetizada e removível, o que permite que você retire a faceplate e coloque uma personalizada, dando maior identidade ao seu portátil.

O Shield também vem com uma AppStore dedicada, ou seja, nela, aparecem todos os jogos e aplicativos compatíveis com o Shield, mesmo os que você já comprou na Play Store, o que evita você ter que fazer a compra repetida de jogos.

Por falar em compatibilidade, a empresa também prometeu um software que possibilitará você escolher o que cada botão do controle faz no Android e você adicionar o suporte a jogos que não funcionam nativamente no Shield.

Quanto ao tempo de bateria, a Nvidia diz que ele funciona com jogos de Android por algo como entre 10 e 13 horas. Já nos jogos de Shield, entre 8 e 10 horas.

O Shield ainda não tem data de lançamento prevista aqui no Brasil, nem preço. Mas o representante da Nvidia prometeu que os 300 dólares que ele custa lá nos EUA não vão se tornar em 3000 reais.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade