[BGS2013] Entrevista Annie “Ecstasy” Leung, a recordista mundial de Guitar Hero

Muito bem, querida nação gamer e leitores ligados no Critical Hits. Estivemos com ela, a musa e recordista mundial de Guitar Hero: Annie “Ecstasy” Leung que entrou para o livro dos recordes na categoria dos games com modestos 789.349 pontos com a temida música Through The Fire And Flames da banda Dragonforce.

Depois de mostrar um show de experiência no jogo e muito charme e simpatia, nós do Critical Hits fizemos um entrevista exclusiva recheada de sorrisos e boas risadas com ela para vocês, meus caros leitores.

Durante o evento ainda me atrevi a jogar uma partida com ela, e a música escolhida foi In Bloom do Nirvana, pertencente ao quarto tótulo da série Guitar Hero. Claro que eu não preciso nem falar que tomei uma cacetada lendária, né?
Curta a entrevista aí.

Lucas Schlottfeldt: Há quanto tempo você joga Guitar Hero, Annie?
Annie Leung: Comecei a jogar a partir do guitar hero 2 e quando o terceiro jogo da série saiu em 2007 comecei a jogar por muito tempo e pratiquei de 2007 a 2010, quando eu gravei o vídeo que me deu o recorde mundial, mas eu comecei jogando com o Guitar Hero 2 e comecei direto com o controle de guitarra.

L.S.: Você começou jogando diretamente no Guitar Pad, ou tentou jogar no controle?
A.L.: Eu queria ganhar mais e mais experiência, e quando você quer isso não pode jogar no controle.

L.S.: Por quanto tempo você se preparou para fazer o vídeo que te deu o recorde mundial?
A.L.: Praticamente desde 2007 quando joguei pela primeira vez, e então comecei a treinar dia após dia melhorando cada vez mais meus scores.

L.S.: Você sabe quantas vezes tentou antes de conseguir bater o recorde?
A.L.: Poxa, vida provavelmente centenas de vezes.

L.S.: Quantas horas você jogava por dia?
A.L.: Bom, quando haviam campeonatos eu me preparava jogando de 4h a 8h por dia. Eu também gravava e fazia uploads dos meus vídeos para o YouTube no meu canal, além de assistir os próprios vídeos para aprimorar minha técnica.

L.S.: Então antes do recorde mundial você já tinha bastante fama
A.L.: Sim.

L.S.: Qual seu jogo favorito da série Guitar Hero?
A.L.: Eu gosto muito do Guitar Hero 3, foi o título que eu mais joguei.

L.S.: Você bateu o recorde jogando o que é provavelmente a música mais desafiante de toda a franquia Guitar Hero. Eu não acredito que haja, mas há alguma outra música que lhe desafiou?
A.L.: Bom, eu acho que Raining Blood é bem difícil assim como o Guitar Hero Metallica. Guitar Hero 6 também é bem desafiante. Cada vez mais os jogadores foram se especializando e ficando melhores, e então a dificuldade sempre foi subindo jogo após jogo.

L.S.: Como você se sentiu após o recorde mundial?
A.L.: Foi realmente muito emocionante. Eu lembro que participei de uma sessão de fotos em Santa Monica em um quarto de hotel, e então eles destruiram todo o quarto como em um ambiente após uma festa e em uma das fotos me pediam para pular com a guitarra, como se estivesse tocando realmente muito louca e eu estava usando salto alto e eles pediam para eu pular e pular, e eu já estava cansada e até suando (risadas). Foi tudo muito divertido e cansativo.

L.S.: Você prefere PC ou console? Tem algum jogo favorito?
A.L.: Eu sou definitivamente uma PC Gamer. Eu gosto muito de Unreal Tournament. Eu era patrocinada e jogava em campeonatos antes mesmo de começar com o Guitar Hero. O jogo Guitar Hero começou a ficar popular em meados de 2006 e 2007, e então eu comecei a jogar por diversão e comecei a ficar muito boa nisso, então deixei um pouco de lado o PC para me dedicar ao jogo.

L.S.: Você tem um console predileto, como PlayStation ou Xbox?
A.L.:  Eu jogo muito mais Xbox do que Playstation.

L.S.: Você toca algum intrumento de verdade?
A.L.: Sim, eu toco piano.

L.S.: É a sua primeira vez no Brasil?
A.L.: Sim, primeira vez.

L.S.: Está curtindo a estadia?
A.L.: Sim, bastante. As pessoas são muito receptivas e me tratam muito bem em todo lugar que eu vou.

L.S.:  Experimentou algum drink ou comida?
A.L.: Eu gostei muito da diversidade dos sucos, eles são muito gostosos e refrescantes. Eu gostei muito da caipirinha também, um excelente drink. Achei também o churrasco brasileiro muito gostoso e também gostei muito mesmo da coxinha.

L.S.: Pode dizer algumas palavras para seus fãs brasileiros?
A.L.: Sim, muito obrigado a todos pelo suporte e carinho, e tentarei voltar o quanto antes.
L.S.: Annie, obrigado pela exclusiva.

E assim se foram meus divertidíssimos 15 minutos de entrevista com a Annie “Ecstasy” Leung. Estamos ansiosos pelo retorno dela a nossa terra!
Não esqueçam de seguir a mim e ao Critical Hits no Twitter e assim como curtir nossa página no Facebook para saber tudo o que se passa no mundo dos games.

Até a próxima!

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade