Categorias: Artigos

Os 5 piores jogos de 2014

Fala, galera, tudo bom com vocês? Nós falamos pra caramba sobre jogos no ano de 2014. Falamos sobre os melhores jogos, os melhores indies, os melhores dos leitores, os melhores do Critical Hits e por aí foi, mas acabou falando a lista dos piores games de 2014 para o Critical Hits.

Hoje, nós vamos corrigir esse pequeno erro histórico, aproveitando que estamos recém na segunda semana de 2015. Vamos lá?

Rambo: The Video Game

O jogo já aparentava ser ruim desde os primeiros trailers, mas Rambo: The Video Game realmente foi um ótimo exemplo de como não se fazer um jogo baseado numa franquia. Ainda mais numa franquia tão boa quanto Rambo. O jogo tem jogabilidade ruim, não é interessante e ainda por cima tem um som com falas que mais parece tem sido ripadas de uma fita VHS esquecida do filme.

Um total desserviço aos fãs de Rambo, que mais uma vez ficaram na expectativa de um jogo que honrasse a história de um dos melhores soldados do exército americano.

The Amazing Spider-Man 2

Mais um jogo baseado em uma franquia, The Amazing Spider-Man 2 recebeu uma porrada de reviews com péssimas notas no site Metacritic, o que nunca é um bom sinal. Reclamações frequentes dele são a jogabilidade mal feita, a falta diversão e basicamente a desconstrução de tudo o que foi feito pelo bom The Amazing Spider Man 1, lançado em 2012.

Unearthed: Trail of Ibn Battuta – Episode 1 – Gold Edition

Um jogo que tenta, na cara dura, aproveitar-se da fama de Uncharted e que no fim é um jogo ruim da geração do Nintendo 64. Agora imagine isso em 2014. O jogo combina péssima jogabilidade com um sistema de combate hilário de tão patético e uma dublagem de provocar gargalhadas.

Eu ainda acho que esse jogo na verdade é uma grande piada, mas certamente serei um dos que vão comprar o episódio 2, se é que um dia ele vai chegar.

Yaiba: Ninja Gaiden Z

Esse jogo, apesar de ter o nome Ninja Gaiden nele, realmente não é um Ninja Gaiden e muito menos merece ter esse nome. O jogo é uma sucessão quase que infinita (ou pelo menos é assim tornado pelo tédio) de ondas de inimigos cada vez mais fortes e mais frustrantes. Isso, combinado a checkpoints muito mal elaborados acabam fazendo o jogo perder ainda mais os poucos pontos positivos que ele pode ter.

Dungeon Keeper (para iOS)

Microtransações: The Game devia ser o nome desse jogo. Ele poderia ser minimamente divertido, se não fossem as constantes microtransações que ele te sugere fazer, tipo logo depois de você fazer o seu primeiro movimento no tutorial. Mais nojento que isso, só o jogo da Kim Kardashian, que eu sinceramente nem considero um jogo.

Enfim, esses são os jogos eleitos por nós como os piores do ano passado. Que jogos você adicionaria ou removeria da lista? Deixe seus comentários!

Este website utiliza cookies