Os 10 melhores jogos de Xbox 360

Fala, galera, tudo bom com vocês? Faz duas semanas, eu fiz uma postagem com os 10 (que na verdade tornaram-se 15) melhores jogos de PlayStation 3. Como a ideia é fazer uma lista dessas de cada uma das plataformas e ir atualizando elas conforme novos jogos que mereçam um lugar apareçam, hoje nós vamos falar dele, do Xbox 360, o primeiro console que eu tive na geração passada.

O Xbox 360 foi o console dominante da última geração no departamento “gamer tradicional”. Geralmente, o console tinha os melhores ports se comparado ao PlayStation 3 e um controle muito mais ergonômico do que o da concorrência, o que o fez ser o principal console para se jogar Call of Duty e os outros jogos de tiro que iam saindo.

Quais são os melhores títulos do Xbox 360? Descobriremos abaixo:

Gears of War 3

Gears of War 3 é o ápice de uma franquia que mostrou para os gamers o que a “nova geração” (quando o Xbox 360 e o PlayStation 3 eram nova geração) era capaz. O jogo combina a conclusão de uma excelente história (sério mesmo, Gears of War tem uma história muito boa) com ação na medida certa, além de um modo multiplayer muito bom e que ainda tem gente jogando, mesmo anos após o lançamento, além de um modo horda que vai fazer você gastar horas e mais horas tentando vencer os variados rounds.

Quer mais? O jogo ainda traz como DLC um capítulo inteiro sobre o General Raam, um dos inimigos mais caça grossa do primeiro jogo e alguns dos melhores mapas de Gears of War 2. O melhor título da franquia, pelo menos até que um novo saia para o Xbox One ou que a franquia seja remasterizada no novo console.

Halo: Reach

O último capítulo de Halo criado pela Bungie traz um pouco de tudo e tem um certo clima de despedida mesmo, ao tratar tanto do passado quanto do futuro da franquia de tiro em primeira pessoa. Além da história sólida, o jogo ainda trouxe novidades no sistema de vida do game (que lembra um pouco o do primeiro título) e novas habilidades, agradando tanto saudosistas da série quanto novatos.

Para completar, ainda temos o sempre excelente modo multiplayer de Halo, que funciona bem tanto em partidas online contra vários outros jogadores quanto com os amigos no sofá dividindo uma tela, algo que faz bastante falta nos jogos de tiro mais atuais.

Portal 2

Portal 2 é uma excelente sequência para um jogo que nem a Valve acreditava que ia fazer tanto sucesso assim. Ok, o jogo está disponível em outras plataformas, mas isso não tira méritos do game, que melhora em absolutamente tudo o que o outro jogo já fazia muito bem, como humor, puzzles inteligentes e um desafio viciante.

Para completar, você ainda pode jogar com um amigo, adicionando aquela camada de caos e falta de sincronização que um jogo desse tipo necessita pra ficar melhor ainda.

GTA V

GTA V é o melhor exemplo de como construir um jogo massivo com não uma, mas três histórias bem construídas, aliados a um mundo cheio de atividades e de quebra ainda ganhar um jogo online que basicamente é um jogo grátis dentro de outro.

A quantidade de detalhes que não foi deixada de lado pela Rockstar em GTA V é assombrosa, além de mostrar que a companhia conseguiu aprimorar seus sistemas de combate, uma das poucas fraquezas da companhia. Quer pilotar um avião? GTA V deixa você fazer isso. Quer andar de barco? Também. Explorar o fundo do mar? Também pode! Assaltar um banco? Claro, por que não?

A lista do que fazer em GTA V é realmente massiva. As outras companhias até haviam encurtado a distância entre elas e a Rockstar no gênero sandbox, mas, com GTA V, a Rockstar mostra novamente quem é o rei.

Confira nosso review

Dark Souls

Dark Souls é um dos melhores exemplos de como construir um jogo difícil pra cacete que ainda assim é justo com o jogador. Praticamente todos os desafios têm uma solução que não seja usando a força bruta, o que incentiva o jogador a tentar, tentar e tentar. E morrer pra caramba também, é claro.

É difícil falar imparcialmente de Dark Souls por esse ser o meu jogo favorito da geração passada, mas, passado o impacto inicial da dificuldade (que vai te tentar muito a desistir da jogatina), você vai encontrar um jogo com uma história rica e que, por mais que te martele e te amasse com a dificuldade, vai te fazer querer continuar jogando, jogando e jogando mais ainda.

Confira nosso review

Assassin’s Creed II

Assassin’s Creed II ainda hoje é considerado o melhor capítulo da franquia por mostrar-se superior a Assassin’s Creed original em tudo e a definir elementos que ainda são aproveitados hoje, anos após o seu lançamento.

Considerado por muitos o melhor ponto de partida para a série, as aventuras de Ezio apresentam um refinado gameplay e missões memoráveis, que certamente vão te fazer querer enfrentar a maratona que é jogar os sete jogos (fora os de Nintendo DS) da franquia.

The Walking Dead

The Walking Dead é um jogo que vai crescendo conforme você vai jogando. Um adventure point and click numa era de jogos de tiro e ação frenéticos, o jogo vale-se da narrativa para envolver o jogador, além de ações rápidas, como decidir o que responder, para que lado ir, etc.

O jogo vai te colocar na pele de Lee Everet e fazer você se conectar emocionalmente com personagens como Kenny, o capira do sul, Clementine, a garota que procura os pais, Carley,a jornalista, todos pessoas normais, com os próprios problemas e idiossincrasias. Outra coisa que você deve saber sobre The Walking Dead, é que você não pode salvar a todos, por mais doloroso que isso seja às vezes.

Confira o nosso review

Red Dead Redemption

Em 2010, a Rockstar pegou todo mundo de surpresa com Red Dead Redemption, um título que era muito mais do que um “GTA no velho oeste”. Combinando belos gráficos, um mapa muito bem pensado e uma trilha sonora sensacional, o jogo ainda apresentava um sistema de combate muito bem trabalhado.

Para completar, o jogo recebeu um DLC que foi transformado em standalone e que jogava todo esse mundo num apocalipse zumbi. Só porque sim, afinal de contas, por que jogos de zumbi só têm que ser situados nos dias de hoje, né?

Call of Duty: Black Ops 2

O melhor capítulo do campeão de vendas do gênero de tiro em primeira pessoa também tem sua melhor versão no Xbox 360, onde ele combina uma campanha com uma história bem interessante a um multiplayer que mistura o tradicional tiroteio entre dois grupos à uma tecnologia com alguns anos de avanço em relação à nossa.

Se você quer começar a jogar Call of Duty, Black Ops 2 ainda é o título a ser escolhido, mesmo após quase três anos do seu lançamento.

Confira nosso review

Alan Wake

Alan Wake até foi lançado para PCs, mas nos consoles, a saga do escritor é exclusiva do Xbox nos consoles.

Aqui, você é um escritor cujas histórias lembram bastante as de Stephen King e deve aventurar-se por elas, enquanto enfrenta uma versão das sombras de si mesmo. O jogo apresetna uma excelente narrativa e um gameplay muito bom, sendo aquele tipo de jogo que você começa e quer terminar numa tacada só. Além do Alan Wake original, ainda há um jogo bem mais curto chamado Alan Wake: American Nightmare, que pode ser comprado no mercado digital por um preço bem reduzido nos dias de hoje.

Encore!

Batman: Arkham City

Batman: Arkham City é o melhor jogo de super heróis dessa geração. Aqui, você se encontra numa cidade prisão repleta de condenados querendo quebrar o seu pescoço, além dos supervilões e seus esquemas e jogos de poder. Para combater a tudo isso, Batman conta basicamente com os próprios músculos, o próprio cérebro e uma cacetada de gadgets que quebram o galho em inúmeras vezes.

O jogo é uma evolução natural e realmente muito bem executada de Arkham Asylum, e apresenta inúmeros desafios, além de uma história principal realmente muito bem feita. Fora isso, o jogo ainda tem um sistema de combate que é extremamente divertido de se passar horas e horas rachando a cabeça de criminosos.

The Elder Scrolls V: Skyrim

Eu não mencionei Skyrim na lista do PlayStation 3 e fui xingado por muitas pessoas por isso. Bom, Skyrim se sai muito melhor no Xbox 360, com menos bugs, uma performance em geral bem mais suave e toneladas e toneladas de conteúdo.

Quem nunca ouviu falar do jogo? Bom, aqui você vive o Dragonborn, o cara que é a única pessoa no mundo que pode matar e absorver as almas dos dragões, e deve salvar Tamriel da destruição iminente causada pelo renascimento dos dragões, além de facilmente mais de 200 horas em quests adicionais ao game.

Ah, e claro, flechadas no joelho.

Confira nosso review

XCOM: Enemy Within

XCOM: Enemy Within é a evolução de um já excelente título. Lembram quando os jogos recebiam pacotes de expansão que realmente significavam alguma coisa? XCOM: Enemy Within é assim, o jogo ganha novas possibilidades de combate, novas unidades, mais inimigos para acabarem com os seus esquadrões (não crie laços com nenhum soldado que não tenha sido promovido umas 3 ou 4 vezes pois as chances dele sobreviver são menores do que a da Xuxa cair no seu colo agora) e algumas missões novas.

Apesar de difícil, o jogo é extremamente viciante, tanto no combate quanto na parte de manejo da base e de gerenciamento da crise. Se você era fã de Final Fantasy Tactics e jogos do gênero, dê uma chance a XCOM. Se você não é, também dê uma chance a XCOM, eu realmente divido que você vá se arrepender.

Confira o nosso review

Borderlands 2

O jogo de tiro perfeito para jogar com os amigos de maneira não competitiva (ou sim também, já que é possível duelar) Borderlands é uma combinação caótica de tiros, explosões, muitos inimigos e uma série de piadas totalmente infames. Prepare-se para coletar uma cacetada de itens durante a sua aventura, pedir para ser revivido umas 200 vezes e se perder dirigindo um daqueles carros do Catch a Ride.

Minecraft

Sim, Minecraft é o nosso último título! O game lançado inicialmente para PC vendeu mais do que pãozinho quente no Xbox 360, tendo recentemente inclusive ultrapassado o número de cópias vendidas na plataforma em relação às cópias vendidas no PC. Quem não conhece Minecraft? Todo mundo já viu ou ouviu falar sobre o simulador de absolutamente o que você quiser fazer com gráficos que mais parecem os de Final Fantasy VII.

Tendo recebido suporte constante tanto da Microsoft quanto da Mojang desde o seu lançamento, o título no Xbox 360 é uma ótima alternativa aos que quiserem entrar nesse mundo com tudo.

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.