Games: Histórias, lendas e bizarrices – Parte 24 (Ninja Gaiden)

Olá amigos, conhecidos e haters! Mais uma vez mooglez aqui! Já sabe, se não me segue no twitter, siga(clica aqui). Não se inscreveu no meu canal ainda? Se inscreve! Hoje é hora de falar sobre outro clássico dos games, NINJA GAIDEN!

NINJA GAIDEN

Não sei se vocês tem percebido, mas eu tenho focado muito mais em jogos clássicos do que bizarrices ou curiosidades. Acho que vale a pena relembrar certos jogos que foram feitos e em alguns casos relançados. Ninja Gaiden é um desses casos que voltaram, mas num estilo completamente diferente. Ele era um jogo estilo plataforma pra NES e Master System. Também tinha uma versão pra arcade, mas era pra competir diretamente com Double Dragon, porém não conseguiu manter muito o público.

Aqui no Brasil o jogo só começou a ter mais visibilidade quando saiu o segundo da série, Ninja Gaiden II. Mas é um dever falar primeiro da história inicial. Ryu Hayabusa é um dos últimos ninjas do clã da Espada do Dragão e encontra uma carta no seu quarto escrita pelo seu pai, Ken Hayabusa (antes que falem algo, não tem NENHUMA relação com Street Fighter). A carta dizia que se Ken não voltasse dentro de uma semana, ele provavelmente teria sido morto por Walter Smith e que Ryu deveria ir aos Estados Unidos vingar sua morte e ainda buscar um artefato histórico encontrado por seu pai e Walter na Floresta Amazônica.

Não fica claro o que esse artefato, que é uma estátua, faz. Então fica à cargo de Ryu descobrir o que essa estátua tem de poder. Então Ryu viaja até os Estados Unidos e senta o cacete em todo mundo.

Depois do primeiro Gaiden, mais dois foram lançados e todos muito bem recebidos. Ninja Gaiden II era sobre abrir o Portal da Escuridão que ameaçava o clã da Espada do Dragão. Ashtar, o vilão do game, precisaria banhar sua espada em sangue humano para conseguir completar a abertura do Portal. Com isso, Ryu vai atrás de Ashtar com a intenção de impedi-lo. Nessa nova jornada Ryu conta com a ajuda de um amigo:  Robert que é um atirador da polícia e ao mesmo tempo, os dois buscam libertar o amor de Ryu, que é Irene Lew, uma policial que foi seqüestrada enquanto investigava os passos de Ashtar.

Por último veio Ninja Gaiden III, que começa com uma suposta morte de Irene Lew realizada por um sósia de Ryu. O sósia tenta incriminar Ryu, porém o Ninja retorna aos Estados Unidos com a intenção de descobrir os fatos e ajudar a CIA a desvendar o caso de Irene. Durante o jogo, Hayabusa encontra Clancy que dá dicas sobre um lugar chamado Castle Rock e que lá com certeza ele encontraria mais informações sobre o suposto assassinato.

Depois disso o jogo voltou a ser trabalhado, porém com uma proposta completamente diferente da original. As câmeras do jogo vieram em 3ª pessoa, mudando por total a experiência antes explorada. Então nem vou me aprofundar, até porque ele não conseguiu manter uma linha de sucesso.

Então pessoal, era isso.

Até semana que vem!

Se inscrevam no meu canal, me sigam no twitter, comentem esse post e muita alegria pra maioria de vocês que deve estar entrando de férias do colégio e faculdade. Semana que vem eu tento pegar outro assunto legal pra falar com um pouco de nostalgia e bizarrice dos jogos no mundo.

Abração!

Leia também:

Parte 1 – Parte 2 – Parte 3 – Parte4 – Parte 5 – Parte-6 – Parte-7 – Parte-8 – Parte-9 – Parte-10 – Parte-11 –Parte-12 – Parte-13 – Parte-14 – Parte-15 – Parte-16 – Parte-17 – Parte-18 – Parte-19 – Parte-20 – Parte-21 –Parte-22 – Parte-23

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade