As mortes mais marcantes do mundo dos videogames

Fala, galera, tudo bom com vocês? Como vocês já devem ter passado por isso, é chocante quando alguém morre e, por algum motivo, isso também é um fato que nos gera uma tristeza enquanto jogamos algum jogo ou estamos lendo algum livro (George RR Martin, estou olhando para você pelo que fez no terceiro livro de A Song of Fire and Ice). Bom, é sobre isso que trataremos hoje: mortes, então, muito cuidado pois esse post será repleto de Spoilers. Pare aqui mesmo caso não queira ficar sabendo de algo que não devia. Para evitar revoltas, não vou colocar o nome de quem morre nos títulos, afinal a gente tem aquela maldita mania de não começar lendo o texto pelo começo e sim por algo que chama a atenção.

5. Batman: Arkham City

O final de Batman: Arkham City é surpreendente. O Homem Morcego está no limite das suas forças e enfrenta um dilema moral: salvar ou não o Coringa, afinal de contas, ele matou a namorada de Batman, envenenou Gotham e é óbvio que não pararia por ali, seria só questão de tempo para sair da prisão novamente e recomeçar tudo.

O surpreendente dessa cena é que Batman ainda assim salvaria o Coringa, mas no fim das contas, ele acabou morrendo pelas próprias mãos, ao atacar Bruce com uma faca exatamente no braço onde ele estava segurando a cura para o veneno que o vilão havia injetado em si mesmo para adquirir super poderes em Batman: Arkham Asylum.

4. Gears of War 3

Dominic Santiago, melhor amigo de Marcus Fenix, é uma pessoa destruída por dentro desde os eventos que sucederam em Gears of War 2. Como vocês devem lembrar, nesse jogo, Dom procurava pela sua esposa e, quando finalmente a encontra, ela acaba morrendo, devido às torturas que os Locust haviam imposto aos seus prisioneiros.

Após isso, Dom entra em depressão e parece oco por dentro. Sempre pensativo, o herói acaba morrendo exatamente como um herói, enfrentando uma série de inimigos para dar tempo a Marcus e cia para fugirem. Fique em paz, Dom, você certamente vai nos fazer falta.

3. Dead Space

Dead Space começa com um objetivo: encontrar Nicole. O problema todo é que Isaac, namorado e engenheiro responsável por consertar uma estação toda (coitado do cara, é o técnico de informática do futuro) recebe uma mensagem dela onde ela se despede e se suicida, mas Isaac ignora essa parte por ter ficado um pouquinho louco.

É uma surpresa para quem jogou Dead Space descobrir que passamos tudo aquilo por nada, para descobrir no fim do jogo que Nicole estava morta, mas pelo menos agora podemos ver essa cena em… italiano! Sim, amigos, fica engraçado ver essa cena nessa língua, mas seria mais legal se Nicole tivesse feito aquele truque da mãozinha que os italianos adoram fazer para falar.

2. Final Fantasy X

Final Fantasy X acaba de uma maneira bastante triste. Aliás, o jogo inteiro já é triste devido à espiral de mortes e reconstrução que o mundo de Spira gira (essa rima doeu no rim). Tidus, que pertencia a outro mundo, alheio ao da Spira atual, acaba desaparecendo, quando era para ele e Yuna finalmente ficarem juntos. É bastante triste ser afastado da pessoa que você ama, pior ainda dessa forma, sabendo que ela acabou tornando-se um fantasma. Ou não, afinal de contas, Final Fantasy X-2 tá aí pra provar isso.

1. Final Fantasy VII

Essa deve ter sido a morte que fez o cu da bunda de todo mundo ter caído quando aconteceu, afinal de contas, ninguém esperava. O ano foi 1997, quando a internet ainda não era nada difundida aqui no Brasil e tudo o que sabíamos sobre videogames vinha das revistas. Eu lembro de ter um Gamersbook do jogo e um detonado da SuperGamePower para as eventuais dificuldades que fossem surgindo, mas essa me pegou de surpresa. Aeris era uma personagem pura e querida, que acabou ficando no coração de todos que jogaram Final Fantasy VII. Muita gente ficou tentando ressuscitá-la depois da morte, mas isso infelizmente acabou se provando ser apenas uma pegadinha de primeiro de abril.

Que outras mortes no mundo dos jogos foram marcantes para vocês?

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.