As melhores profissões dos jogos de videogame

Nem todo jogo se trata somente de sair dando tiro por ai feito um maluco. Alguns deles te oferecem a possibilidade de encarar um emprego virtual, tanto como tema principal como mini-game secundário.  O engraçado é que muita gente trabalha e estuda a semana inteira, e no final de semana, ao invés de relaxar e tentar fazer algo mais tranquilo, senta na frente do video-game e sai por ai, trabalhando feito um condenado pra juntar dinheiro e comprar aquela armadura bacanuda que o jogo oferece.

Por mais estranho que pareça, listamos aqui 5 profissões in-game bastante interessantes. Caso você tenha algo a acrescentar, não deixe de escrever a sua opinião nos comentários.

Bully – Cortador de grama

Bully é um jogo bastante controverso. Logo quando foi lançado foi imediatamente comparado como sendo o “GTA nos tempos de escola”, e realmente parece bastante com isso. Lembro que quando joguei o game pela primeira vez, me impressionei com a boa estruturação que ele apresentava, com a história bem embasada e principalmente, com o protagonista badass que o jogo tinha. Entretanto, com o passar do tempo, você acaba descobrindo que Jimmy Hopkins não é tão fodão assim e que como qualquer um, precisa dar um jeito de financiar tantas artimanhas e traquitanas na Bullworth Academy. Pra conseguir grana de uma forma fácil, não basta ligar pro pai não, você tem que dedicar muito tempo cortando grama e juntando migalhas pra poder investir em batatas pra munição, bombas fedorentas e pó de mico. É meus amigos, nem nos jogos a vida tá fácil.

Paperboy – Entrega de jornais

Entregar jornal por ai é a fonte de renda de muita gente, mas entregar jornal em Paperboy é para poucos. O jogo te bota na pela de um moleque encarregado de disseminar a informação em um lugar que se não é o inferno, chega bem perto. Não bastasse toda a dificuldade de subir inúmeras ladeiras na base da pedalada, o moleque ainda tem que enfrentar cortadores de grama possuídos, carros desgovernados, crianças com triciclos, cachorros sedentos por sangue, tornados e até a dona morte! E pra ajudar, no final da rota ainda é preciso vencer uma pista cheia de obstáculos completamente sadomasoquistas que por fim, te darão como recompensa um punhado de pontos e mais casas na sua nova rota. Vida injusta a desse jornaleiro heim, vou te contar.

Crazy Taxi – Taxista

O enredo do jogo segue praticamente a mesma linha de Paperboy, pois todo o enredo se baseia em uma profissão comum por ai. Que existem taxistas que fazem de tudo pra te levar de um ponto ao outro, todo mundo sabe, mas quem aqui conhece um taxista maluco o suficiente que por $20 é capaz de te levar ao destino em 40 segundos, não importando quantas pessoas serão atropeladas, quantas rampas e batidas ele vai ter que topar ou ainda, quantos metros subaquáticos ele vai ter que percorrer. Diferentemente do jornaleiro citado aqui em cima, que parece ter todo o cenário do jogo contra ele, aqui o objetivo é justamente abusar de todos os objetos a vista pra tentar se beneficiar no tempo. Já pensou que louco seria se em um remake de Paperboy você tivesse que se desviar de uma táxi totalmente desgovernado? Bom, talvez não seja tão boa ideia assim, deixa pra lá.

Fable II – Ferreiro

Fable é um baita jogo. Fable dois é magnífico. Fable III é meia boca. Entretanto, mesmo com tantos altos e baixos, a série foi capaz de nos proporcionar a possibilidade de ganhar muito dinheiro trabalhando dentro do jogo, e ainda por cima, fazer com que o jogador se divirta no meio do processo. Lembra de quando eu falei de um amigo meu que passava a semana inteira trabalhando pra depois se internar no trabalho virtual durante o final de semana? Então, era em Fable II que ele fazia isso. Cansei de ver o maluco dedicando boa parte da jogatina pra fazer ferramentas e armas dentro do jogo só pelo fato de isso ser “legal”. De qualquer forma, acho esse um dos pontos positivos da franquia e espero que se um dia Fable IV sair, que a ideia se mantenha e que seja melhorada.

GTA IV – Vigilante

Acho que nem preciso ficar tecendo comentários sobre GTA IV né? O jogo possibilita você a fazer quase tudo de imoral que existe por ai, desde roubar carros, matar inocentes, arranjar briga no meio da rua e etc. Mas, eis que muita gente não esperava a possibilidade de trabalhar como um vigilante dentro do jogo, SIM! Você tem a possibilidade de botar Nicko Bellic pra trabalhar sair por ai resolvendo crimes e caçando traficantes, ladrões e coisa e tal, mais ou menos como se você fosse um justiceiro ou coisa parecida. Como faz isso? Bom, é só roubar um carro da polícia e ficar ligado no sistema dos caras, coisa simples, bem fácil de se resolver.

Bônus: Skyrim

Sim, eu sei, eu sou um baita puxa saco de Skyrim, mas você não pode negar que quando o assunto é profissão, o jogo te inunda de possibilidade. Se você não tiver com saco pra ficar indo atrás de dragões ou qualquer coisa do tipo, pode simplesmente sair por ai atrás de um mina bacana a fim de pegar minério suficiente pra dar aquela melhorada bacana na sua armadura, ou ainda sair catando soulstones pra tentar encantar alguma coisa, efim, as possibilidades são inúmeras e só achei que seria bacana citar o jogo por aqui.

Que outras profissões legais de jogos vocês têm para citar?

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade