As 5 melhores edições de colecionador de 2013

Fala, galera, tudo bom com vocês? Edições de colecionador em jogos de videogame costumam ser uma edição onde o que menos custa pra ser produzido é o jogo. Elas vêm com manuais digitais, DLC e uma série de “mimos” aos fãs que podem pagar por elas, e geralmente vem com coisas muito legais. Hoje, vamos listar algumas das melhores lançadas nesse ano.

Aliens: Colonial Marines

Aliens: Colonial Marines foi uma das maiores decepções desse ano e dos últimos anos no videogame. O jogo, que pretendia ser uma espécie de Natural Selection com Aliens no multiplayer e um jogo competente e assustador no single player, não entrega em nenhum dos modos, oferecendo um gameplay cheio de bugs, mal feito e com uma das piores histórias do mundo.

Para quem é fã da série Alien, entretanto, a edição de colecionador deste jogo é bem interessante, por trazer um Action Figure de um Powerloader, uma Xeno Hive, manuais bonitinhos e um dossiê impresso, além de, claro, conteúdos digitais exclusivos para um jogo que realmente não merece ser jogado.

BioShock Infinite

BioShock sempre foi uma das séries mais aclamadas e respeitadas por quem gosta de jogar videogame, mas nunca teve uma edição de colecionador à sua altura. Felizmente, Infinite traz uma estátua do Songbird, um livro de 64 páginas com ilustrações sobre Columbia, uma action figure do Handyman, uma litografia do Vigor Devil’s Kiss, um chaveiro do Vigor Murder of Crows, a trilha sonora do jogo e alguns upgrades para o seu personagem começar o jogo bombadão. O único problema dessa edição é que provavelmente iria faltar prateleira no seu quarto pra guardar tudo isso.

Injustice: Gods Among Us

Injustice: Gods Among Us é outro jogo que não me agradou tanto assim nesse ano, mas que traz uma edição de colecionador bem interessante para os que curtem estátuas, já que vem uma do Batman prestes a tomar uma surra da Mulher Maravilha. Além dessa estátua, ainda temos o steelbook para o jogo (que eu nem gosto tanto assim por ficar diferente das caixas dos jogos normais), uma história em quadrinhos sobre o jogo e três skins para Batman, Super Man e Mulher Maravilha.

DmC

DmC causou uma cacetada de polêmica quando foi anunciado por causa da versão Justin Bieber do Dante. O que a Capcom fez em relação a isso? Nada, mas lançou uma edição especial do jogo bem joinha, com um colar do Dante (pra você proteger sua virgindade nas convenções de anime e afins) e um DLC com versões de samurai para as suas armas, afinal, como vocês sabem, Samurais usavam foices e shotguns além de espadas.

Batman: Arkham Origins

Finalizando a nossa lista, temos a edição de colecionador de Batman: Arkham Origins. Essa, pra mim, foi a melhor do ano. Como dá para ver na foto acima, além do jogo, você recebe uma estátua do Joker com LEDs, um livro de 80 páginas contendo arte do jogo, duas “pieces of evidence”, um pôster de procurado do Batman, instruções de protótipos da Batwing, um mapa que brilha no escuro de Gotham, uma foto da família Wayne, inteligência sobre o vilão Máscara Negra e uma pichação do logo da Arkany.

Além dos conteúdos físicos, o jogo ainda ganha um skin da primeira aparição do Batman na história, com o visual dele de 1939, um Challenge Pack do Deathstroke, que libera mais duas skins do vilão e alguns mapas de desafio extras. Para completar o pacote, o jogo ainda vem com um documentário da DC mostrando alguns dos supervilões da série. Caso você tenha um PS3, o jogo ainda vem com um pack baseado no arco Knightfall.

Pena que o jogo em si não é lá grandes coisas, como eu disse no meu review, mas que a edição é excelente, isso é indiscutível.

Que outras edições de colecionador vocês acham que podiam aparecer aqui? Qual delas vocês gostaram mais?

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.