Categorias: Artigos

5 personagens de games que ninguém escolhe

Alguns personagens são mais queridos do que outro. É normal. Um clássico do Street Fighter é Ryu vs. Ken. Ou, em Mortal Kombat, temos Scorpion x Sub-Zero. Quem aí não ralhava para poder pegar o Sweet Tooth em Twisted Metal?

Tem gente que considerava até roubo pegar o Brasil nos jogos de futebol do PlayStation 2.

Mas tem alguns personagens quem ninguém gosta. Aqueles personagens que só são selecionados por acaso, geralmente acompanhado de um “ah, volta aí!” ou “putz, essa nem vai valer”.

E são desses excluídos pelo gosto geral que vamos falar. É a hora deles brilharem. Ou não, já que a gente só vai falar mal deles.

5. Tails (Sonic The Hedgehog 2)

Se por um lado o Tails é uma raposinha fofa que todo mundo acha bonitinho, por outro lado ninguém queria jogar com ele ao invés do Sonic.

Jogar com ele era um saco pois, não sendo tão capaz de manter a velocidade como o Sonic, ter ele na tela significava um constante atraso. E isso quando ele era o seu amiguinho player 2. Quando controlado pelo computador, ele parecia estar possuído pelo ritmo ragatanga e ativava todas as bombas que encontrava. Isso quando ele não ativava elevadores e plataformas dessas que caem quando você pisa.

O ruim é que lá dentro, ele tem certeza que está ajudando. Como odiar um cara assim?

4. Liu Kang (Mortal Kombat)

É um jogo de luta. Quem você prefere pegar? A loira, o cara de óculos escuros, o chinês pai-de-santo ou o asiático badass que parece mais o Bruce Lee da morte?

A resposta parece até meio óbvia. Mas era um engano que se cometia uma vez só. Com uma jogabilidade ainda mais dura que a de seus companheiros e um fatality que nem era um fatality de verdade, Liu Kang rapidamente foi deixado de lado para que personagens mais cativantes – e com melhores golpes – tomassem o gosto popular.

Claro que isso mudou no segundo Mortal Kombat, quando acertaram a mão nos golpes de Liu Kang e permitiram que ele se transformasse num FUCKING dragão comedor de gente em seu Fatality. Boa, Midway!

3. Morten (Mario Kart 8)

Veja bem, a lista de personagens dispensáveis no oitavo jogo da franquia Mario Kart é considerável. Temos o Metal Mario (ninguém gosta desse cara) a até aquela Princesa Peach dourada, mas até esses personagens são escolhidos por algumas crianças que achem a combinação de cores interessante. Além do fato de rosa e dourado chamar bastante atenção.

Mas… Olha esse Morten. Nem a mãe dele deve gostar dele. Parece que estavam desenhando o Bowser e de repente aconteceu um AVC no desenhista e XABLAU! “Vamos usar assim mesmo, foda-se.”

E aí ninguém gosta dele.

2. Natalia (GoldenEye 007)

Num multiplayer de um jogo sobre o 007, todos querem ser o James Bond. Ou um grande vilão. Ou um cara aleatório. Até mesmo um anão tá valendo. Mas pegar uma programadora que é responsável pela parte mais chata da histórias dos jogos ninguém vai querer.

Se você não  lembra – ou não jogou – essa requenguela é tipo a mãe da Ashley de Resident Evil 4 e precisa ser escoltada. O problema é que ela insiste fortemente em ficar na frente de tiros e perigos, tornando sua missão muito mais ingrata do que já era.

E nem o fator beleza feminina contava. Mesmo na época, 12 polígonos e um rosto que era na verdade uma fotografia em baixa resolução não agradava muita gente.

1.  Voldo (Soul Calibur)

Soul Calibur tem uma porrada de gente interessante pra jogar. Em entradas mais recentes, temos até a oportunidade de jogar com medalhões da cultura pop, como Darth Vader e Mestre Yoda, além de alguns grandes nomes de outras franquias, como Kratos e Yoshimitsu.

Mas também temos o Voldo.

E não temos nem como defender esse cara, que é cego albino sadomasoquista que se move de um jeito tão bizarro que te dá mais nojo do que medo. Mas medo também. O cara é meio que um cosplayer do Edward Mãos-de-Tesoura que caiu num caminhão de lixo e foi processado três vezes seguidas.

Disqus Comments Loading...

Este website utiliza cookies