5 jogos de completamente bizarros

Fala, galera, tudo bom com vocês? De vez em quando, os produtores de jogos entram com alguma ideia completamente bizarra nas reuniões e, para o nosso deleite, elas são aceitas. O problema nem é esse e sim quando elas saem completamente dos limites da bizarrice. É sobre isso que a lista de hoje trata: jogos completamente WTF.

5. Zombie Nation

O ano é 1999 e um meteoro vindo do espaço chamado de Darc Seed atinge o estado de Nevada, tornando todos os americanos em… zumbis. Você é a única esperança do país, uma cabeça voadora do samurai Namakubi, que deve flutuar pelos estágios atacando inimigos com algo que parece ser… vômito, além de coisas bizarras que saem dos seus olhos. Será outros olhos?

Enfim, o jogo é completamente bizarro, como vocês podem ver no vídeo acima. Tão bizarro que chega a ser genial e me dar uma vontade gigantesca de jogá-lo até o fim no canal do Critical Hits. Mas só quando eu vencer a preguiça.

4. Uniracers

Eu lembro de alugar esse jogo e me arrepender amargamente. Uniracers era um jogo de corrida de… uniciclos, Precisa falar mais do que isso?. Bom, o jogo foi desenvolvido pela Nintendo of America em 1994 e era um exclusivo do SNES.

3. Clay Fighter 63 1/3

A série Clay Fighter é um completo deboche de outros jogos, sejam eles de luta ou não. Começando pelo nome, Clay Fighter 63 1/3, que dá uma tiradinha com Mario 64 e seguindo para um jogo de luta que parece uma mistura bizarra de personagens que poderiam muito bem ter sido rejeitados de Killer Instinct. O jogo chega a ter um Papai Noel lutador de sumô. Se isso não é bizarro o suficiente pra vocês, eu não sei o que pode ser.

2. PlayBoy: The Mansion

Um jogo que conta a história da lendária revista PlayBoy. Como isso poderia ser bizarro? Bom, você é Hugh Hefner e deve manter a revista de pé, com relacionamentos, escolhendo quem vai participar dela e tudo mais. No fim das contas, parece que jogaram Rollercoaster Tycoon e The Sims com skins de nudez no liquidificador.

1. Catherine

Fechando a nossa lista, temos Catherine, um jogo que não faz o menor sentido. Você acordou de madrugada com chifres de bode, de cueca e com um travesseiro. Seu objetivo é subir plataformas cada vez mais difíceis e fugir de demônios bizarros. Não bastasse isso, você ainda tem que viver a vida amorosa de Vincent Brooks, que está envolvido com Katherine, sua noiva, e Catherine, uma estranha que apareceu do nada na vida dele e acaba virando a amante dele.

Não tá bom ainda? Espere para descobrir o final do jogo. É de cair o cu da bunda.

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Disqus Comments Loading...