3 pegadinhas em que o mundo dos jogos caiu – parte 1

Fala, galera, tudo bem com vocês? Todo mundo já pregou uma pegadinha de primeiro de abril em algum amigo, parente ou namorada, certo? Isso também já aconteceu bastante no mundo dos jogos, sendo a Revista EGM dos Estados Unidos uma mestre no assunto. O artigo de hoje separa três dessas pegadinhas que já foram pregadas nos gamers. Vamos a elas?

1. Lord of the Rings: Mordor GP

Já pensou um Mario Kart só que com personagens do Senhor dos Anéis? Essa ideia parece genial né? Alguém na redação da EGM teve a ideia e pensou “hey, por que não gastamos um trecho da página pregando uma pegadinha nos nossos leitores com ela?”. Dito e feito, o resultado pode ser visto no scan acima, onde Gandalf faz uma curva sendo observado por um Troll das Cavernas (saudade de quando os trolls ficavam nas cavernas e não na internet) fazendo uma curva.

Eu não sei por que diabos a empresa detentora dos direitos de Lord of the Rings não fez um jogo baseado nessa ideia. Tá, a ideia é péssima e o jogo seria ridículo, mas seria o melhor jogo do mundo para se jogar com os amigos rindo de tão ridícula que a ideia era. Imagina só o Frodo usando o Sam como veículo, afinal, o Frodo é o protagonista mais inútil de todos os tempos.

2. Sheng Long (não o do Dragon Ball)

Essa é a pegadinha mais famosa de todos os tempos. Sheng Long foi criado pela redação da EGM como outra piada de primeiro de abril só para sacanear os fãs. Na edição 33 do ano de 1992, que cobria o lançamento de Street Fighter 2, ela dizia que, caso você conseguisse ficar um número X de rounds sem tocar em Bison (e o mesmo acontecer, para que o jogo computasse um empate na partida), Sheng Long iria aparecer na tela, derrotar Bison e desafiar você para um combate.

Segundo a revista, esse personagem misterioso seria o mestre  de Ryu e Ken. MUITA gente caiu na pegadinha e gastou todas as economias da família tentando encontrar o tal do chefe escondido… para descobrir que não passava de uma piada. Quer dizer, mais ou menos, Sheng Long acabou servindo de inspiração para a Capcom criar Gouki/Akuma e, futuramente, Gouken, mestre de fato de Ryu e Ken.

Assim como Sheng Long, ambos não passam de imagens de Ryu e Ken retocadas (ou ainda o Ryu roxo, ou o Ryu de cabelo vermelho e por aí vão os outros nomes). Aliás, sabem de onde saiu a inspiração para o nome Sheng Long? Do mané que traduziu Street Fighter do japonês para o inglês. Ao vencer uma partida, o personagem sempre fala alguma frase de efeito. Caso você vença com Ryu, ele diz “You must defeat Sheng Long to stand a chance”. Sheng Long na verdade era para ter sido traduzido como Shoryuken. Tudo isso porque o cara não usou o Google Tradutor.

3. Zelda Superpoderosa não mais

Para completar nossa lista, a EGM disse que, caso você comprasse The Legend of Zelda: Twilight Princess na pré-venda, você receberia um grande bônus: The Legend of Zelda: The Wind Waker com gráficos de verdade! Isso mesmo, nada mais de Link travestido de Menina Superpoderosa e sim Link com gráficos de gente grande.

Tá, bullying à parte com os nintendistas, eles até se prestaram a fazer uma imagem de como o jogo ficaria, comparando com como o jogo era originalmente. Eu não faço ideia se isso aumentou ou não o número de pré-compras do jogo (até porque não tinha necessidade, Zelda vende feito água mesmo), mas que foi uma bela duma sacaneada, foi.

Agradecimentos ao Pietro por me dar a ideia do artigo.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade