3 jogos que nunca viram a luz do dia – parte 2

Quem nunca começou algo e não terminou, seja por falta de vontade, dinheiro ou algum motivo obscuro? No mundo dos games, muitos projetos acabaram não vendo a luz do dia, como os três da nossa lista de hoje, continuando essa série do Critical Hits. Prontos para eles?

1. Killer Instinct 2 (Super Nintendo – 1996)

Killer Instinct foi uma das séries que mais bombásticas do Super Nintendo. Sucesso de público e de crítica, uma sequência era mais do que aguardada. Em 1996, a Rare estava desenvolvendo um port do jogo para o SNES, mas aí veio o Nintendo 64 com toda a sua potência e acabou tornando esse esforço desnecessário, já que o novo console da Nintendo precisava de títulos de qualidade.

No fim das contas, sabe-se que o jogo teria mais frames que o port de Killer Instinct 1 (que teve a incrível quantidade de mais de 80% dos quadros de animação removidos para que pudesse caber na memória limitada do console) e que já estava bem avançado. Abaixo, vocês podem ver um vídeo da versão de fliperama do jogo.

2. Starcraft Ghost (PlayStation 2, Game Cube, Xbox – 2006)

Starcraft Ghost é um jogo ainda sonhado por muitos fãs da série. Ele seria um jogo de ação militar com stealth, com Nova como personagem principal. A ideia do jogo era dar uma visão mais próxima dos elementos do universo do jogo e pretendia usar o poder da nova geração de consoles (PlayStation 2, Xbox e Game Cube na época) para trazer visuais e jogabilidade mais detalhados.

O projeto acabou sofrendo uma série de atrasos, tendo até uma troca de companhia durante a sua produção. Em março de 2006 a Blizzard finalmente colocou o jogo em suspensão e, desde então, nada mais foi anunciado sobre ele. Há uma porrada de material disponível na internet sobre o jogo, como imagens, vídeos e entrevistas do time de produção.

Não se sabe ainda se ele será um dia lançado, mas se até Duke Nukem Forever foi lançado, por que não, né?

3. System Shock 2 (Dreamcast – 2002)

System Shock 2 é uma mistura de RPG com survival horror que saiu para o PC nos anos 2000. Desenvolvido por Ken Levine e pela Irrational Games (aposto que vocês já andaram ouvindo falar desses dois ultimamente), havia planos de um port do jogo para o Dreamcast, videogame “todo poderoso” da época.

O projeto foi colocado nas mãos da Marina Games, que estava sob comando da Vatical Entretainment. A Marina acabou perdendo a data de lançamento do jogo e anunciando que o projeto estava sento feito, mas que não havia uma data certa para quando ele estivesse pronto. Isso acabou fazendo que a SEGA saísse do projeto e o jogo fosse cancelado.

Em 2010, arquivos do jogo foram encontrados num kit de desenvolvimento do Dreamcast. O port estava bem rudimentar ainda, com diversos problemas de framerate e loadings BEM demorados (cerca de 5 minutos por tela). Não é atoa que o jogo acabou sendo deixado de lado.

Gostou? Confira as outras partes dessa série:

Parte 1

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade