3 jogos que nunca viram a luz do dia – parte 2

Quem nunca começou algo e não terminou, seja por falta de vontade, dinheiro ou algum motivo obscuro? No mundo dos games, muitos projetos acabaram não vendo a luz do dia, como os três da nossa lista de hoje, continuando essa série do Critical Hits. Prontos para eles?

1. Killer Instinct 2 (Super Nintendo – 1996)

Killer Instinct foi uma das séries que mais bombásticas do Super Nintendo. Sucesso de público e de crítica, uma sequência era mais do que aguardada. Em 1996, a Rare estava desenvolvendo um port do jogo para o SNES, mas aí veio o Nintendo 64 com toda a sua potência e acabou tornando esse esforço desnecessário, já que o novo console da Nintendo precisava de títulos de qualidade.

No fim das contas, sabe-se que o jogo teria mais frames que o port de Killer Instinct 1 (que teve a incrível quantidade de mais de 80% dos quadros de animação removidos para que pudesse caber na memória limitada do console) e que já estava bem avançado. Abaixo, vocês podem ver um vídeo da versão de fliperama do jogo.

2. Starcraft Ghost (PlayStation 2, Game Cube, Xbox – 2006)

Starcraft Ghost é um jogo ainda sonhado por muitos fãs da série. Ele seria um jogo de ação militar com stealth, com Nova como personagem principal. A ideia do jogo era dar uma visão mais próxima dos elementos do universo do jogo e pretendia usar o poder da nova geração de consoles (PlayStation 2, Xbox e Game Cube na época) para trazer visuais e jogabilidade mais detalhados.

O projeto acabou sofrendo uma série de atrasos, tendo até uma troca de companhia durante a sua produção. Em março de 2006 a Blizzard finalmente colocou o jogo em suspensão e, desde então, nada mais foi anunciado sobre ele. Há uma porrada de material disponível na internet sobre o jogo, como imagens, vídeos e entrevistas do time de produção.

Não se sabe ainda se ele será um dia lançado, mas se até Duke Nukem Forever foi lançado, por que não, né?

3. System Shock 2 (Dreamcast – 2002)

System Shock 2 é uma mistura de RPG com survival horror que saiu para o PC nos anos 2000. Desenvolvido por Ken Levine e pela Irrational Games (aposto que vocês já andaram ouvindo falar desses dois ultimamente), havia planos de um port do jogo para o Dreamcast, videogame “todo poderoso” da época.

O projeto foi colocado nas mãos da Marina Games, que estava sob comando da Vatical Entretainment. A Marina acabou perdendo a data de lançamento do jogo e anunciando que o projeto estava sento feito, mas que não havia uma data certa para quando ele estivesse pronto. Isso acabou fazendo que a SEGA saísse do projeto e o jogo fosse cancelado.

Em 2010, arquivos do jogo foram encontrados num kit de desenvolvimento do Dreamcast. O port estava bem rudimentar ainda, com diversos problemas de framerate e loadings BEM demorados (cerca de 5 minutos por tela). Não é atoa que o jogo acabou sendo deixado de lado.

Gostou? Confira as outras partes dessa série:

Parte 1

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade