3 jogos que nunca viram a luz do dia – parte 1

Quem nunca começou algo e não terminou, seja por falta de vontade, dinheiro ou algum motivo obscuro? No mundo dos games, muitos projetos acabaram não vendo a luz do dia, como os três da nossa lista de hoje, que marca uma nova série aqui no Crtical Hits. Prontos para eles?

1. Green Lantern (Super Nintendo – 1995)

Lanterna Verde é um personagem bastante famoso da DC Comics, mas que levou um tempão para ter um jogo para chamar de seu. Em 1995, a Ocean Software teve um projeto de desenvolvimento de uma aventura do super herói baseada no quadrinho dele cancelada. O jogo consistia de um action/plataformer onde o Lanterna usaria diversos itens para progredir na história, além de, claro, sentar o sarrafo em qualquer cosia que respirasse e que ousasse aparecer na tela.

Como a DC não gostou do produto final e pediu mudanças, o projeto acabou sendo engavetado, pois o orçamento para o jogo já havia sido gasto. Na galeria abaixo é possível ver a cobertura que revistas do ramo deram ao jogo antes do seu cancelamento.

2. Final Fantasy 64 (Nintendo 64 – 1996)

Final Fantasy, como todos sabemos, foi um dos trunfos do PlayStation para cima da concorrência durante a geração de 32/64 bits. A série, que era exclusiva da Nintendo até a geração 16 bits acabou mudando de casa, devido à relutância da Nintendo a usar CDs como mídia do seu novo console, o Nintendo 64.

Antes disso acontecer, a Square havia feito alguns testes no console usando personagens de Final Fantasy VI renderizados em três dimensões numa tech-demo que ficou como um dos “what if” mais famosos daquela geração. A verdade é que a tech-demo rodava em PCs de alto desempenho da época, ou seja, o Nintendo 64 realmente nunca viu uma versão de Final Fantasy, nem no quartel general da Square. É possível ver um vídeo desse demo abaixo, além das imagens disponíveis.

3. Cruis’n Exotica (Nintendo 64 – 1999)

A série Cruis’n é um clássico do Nintendo, um dos únicos jogos que eu costumava invejar do console na época (eu tinha um PlayStation). O Cruis’n em questão chama-se Cruis’n Exotica, jogo onde você corria por locais exóticos do mundo, como Las Vegas, Tailândia e até a superfície de Marte.

O jogo até chegou a ser lançado tanto para o Arcade quanto para o Nintendo 64, mas as imagens abaixo retratam coisas que foram tiradas do jogo, como carros e vacas na rua. Como assim retirar uma feature tão legal quanto essa? Eu quero poder atropelar uma mimosa enquanto dirijo! Outra característica que não sobreviveu aos cortes foi a possibilidade de jogar com pilotos diferentes, como um bebê e um marciano. Sério, o jogo ficaria bem mais legal sem esses cortes

Enfim, fiquem com a galeria:

Eric Arraché

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.