Categorias: Artigos

3 curiosidades sobre jogos – parte 11

E aí, pessoas, tudo bem com vocês? Segunda feira é o dia oficial de curiosidades sobre jogos aqui no Critical Hits. Hoje separamos mais três para vocês, que gostam de ficar sabendo sobre coisas que não vai mudar a vida de ninguém, mas que mesmo assim é legal saber. Para preservar a qualidade dos arquivos, diminuímos a quantidade de curiosidades, para que não tenhamos que encher linguiça com curiosidades sem graça só para fechar o arquivo, mas prometemos aumentar a frequência deles!

1. 87 bazilhões

Borderlands é uma franquia onde as armas são praticamente descartáveis. A cada inimigo novo, a chance de você conseguir um novo equipamento, seja ele uma arma, armadura ou ainda munição ou dinheiro é de 150%. Faz parte do jogo, onde o “loot” é um dos seus componentes principais.

Para promover esse lado ‘bastantão’ do jogo, a equipe de publicidade dele lançou essa imagem, dizendo que o jogo tinha “87 bazilhões de armas”. Obviamente o bazilhão é uma escala de grandeza que não existe, mas o jogo tem armas pra cacete. Adivinha quantas? 16,164,886 (16 milhões, 164 mil, 886). Dá pra achar uma ou duas que se adequem ao seu estilo de jogo com quantas opções, né?

2. Insert Coint

Esse fliperama acima é o Computer Space. Ele foi lançado em 1971 e é considerado o primeiro fliperama da história a aceitar fichas como modo de pagamento por uma nova partida. Um fato interessante sobre esse arcade é que ele não foi um sucesso comercial pela sua dificuldade de entender como se jogar antes de você morrer.

O Computer Space foi desenvolvido por Nolan Bushnell e Ted Dabney, dois dos fundadores da Atari. Apesar de não ter sido o sucesso que os seus criadores esperavam, ele ajudou eles a acumularem conhecimento para fundar a Atari e também serviu como forma de acumular capital para tirar a empresa do papel.

3. Cadê as moedas?

Você certamente conhece o jogo acima, certo? Ele é Space Invaders, um dos maiores clássicos da pré-história do videogame, seja nos arcades, seja no Atari. O jogo foi tão bem sucedido que causou uma escassez de moedas de 100 ienes (cerca de R$ 2,10 hoje em dia) no Japão.

Vocês conseguem imaginar a quantidade de dinheiro que donos de bares e fliperamas conseguiram acumular com essas máquinas? Poxa, se eu já acho hoje em dia R$ 2,00 muito pra uma partida imagina nos anos 70. Para a sorte dos japoneses, o Banco Central do Japão colocou mais moedas em circulação.

Gostou? Confira já as outras partes:

Parte 1Parte 2Parte 3Parte 4Parte 5Parte 6Parte 7Parte 8Parte 9Parte 10

Este website utiliza cookies