10 personagens da Marvel que mereciam sua própria série na Netflix

A segunda temporada de Marvel’s Daredevil foi disponibilizada na Netflix na última sexta-feira e mais uma vez foi um grande sucesso, evidenciando a capacidade da plataforma de adaptar com perfeição personagens dos quadrinhos em séries de TV. Justiceiro e Elektra também fizeram suas estreias magistrais no universo da Marvel e, apesar de não haver nada confirmado sobre uma série de um dos dois, sabemos que os veremos de novo.

Mas a Marvel tem muitos mais personagens além dos quatro Defensores e os dois anti-heróis, um mundo muito maior do que Hell’s Kitchen. E com toda certeza muitos deles merecem sua própria série na Netflix, talvez por serem conhecidos, talvez por terem muito potencial, ou talvez por apenas terem a capacidade de proporcionar histórias diferentes e de qualidade do que as que vemos hoje. Abaixo listamos 10 deles:

Elektra

Elektra nasceu nas revistas do Demolidor, mas logo conquistou fama vindo a receber suas próprias HQs não muito tempo depois. A ninja é uma anti-heroína que é conhecida por usar um par de Sai. Nos quadrinhos, Elektra é contratada pelo Rei do Crime (interpretado por Vincent D’Onofrio em Daredevil) para ser sua assassina particular, mas logo muda seu caminho e acaba batendo de frente com o assassino conhecido como Mercenário (Bullseye) que a mata com suas próprias armas – essa é uma das mortes mais icônicas da história da Marvel.

Elektra já apareceu na segunda temporada de Daredevil e deixou ótimas impressões, além de uma garantia de que retornará. Se esse retorno será numa terceira temporada ou numa série própria, não sabemos, mas podemos ter certeza de que ela voltará diferente e que o Mercenário não estará muito longe.

Cavaleiro da Lua – Moon Knight

O Cavaleiro da Lua tornou-se um personagem muito conhecido e se encaixaria muito bem no universo atual da Netflix. Marc Spector é um ex-mercenário e representante do deus egípcio Khonshu na Terra. Ele é mais um dos vigilantes de Nova York e suas habilidades mudam dependendo da fase da lua. Além de mercenário, Marc também foi boxeador e fuzileiro naval, carreira que poderia ser explicada em uma série episódica.

Apesar de ter algumas habilidades fornecidas por Khonshu, na maioria das vezes Moon Knight utiliza apenas suas próprias capacidades de luta e equipamentos para combater o crime, algo que poderia ser muito bem adaptado para uma série. Suas HQs são bem pés no chão, assim como Daredevil e Jessica Jones e sua origem “mística” se encaixaria no contexto que Elektra está trazendo a este universo.

She-Hulk

Se já temos Hulk e Gamora, por que não mais um personagem verde? Jennifer Walters não é só prima de Bruce Banner e uma “versão feminina” do Hulk. Ela é advogada, o que já a encaixa automaticamente no mundo de Jessica Jones e Matt Murdock podendo trabalhar em conjunto com ambos.

Além disso, Jennifer, diferente de seu primo, consegue manter sua consciência quando se transforma em Hulk, o que a permite controlar muito mais suas ações até do que o Hulk de Mark Ruffalo um dia conseguirá.

Manto e Adaga – Cloak & Dagger

Manto, Tyrone ‘Ty’ Johnson, e Adaga, Tandy Bowen são uma dupla de mutantes bastante conhecida dos fãs de quadrinhos mais antigos. Seus poderes foram obtidos através de uma injeção de drogas experimentais dadas por traficantes da gangue do mafioso Cabelo de Prata.

Manto pode se teleportar, voar e também é capaz de controlar as forças da dimensão escura que saem de seu manto. Já adaga controla a luz, podendo criar projéteis com ela, se teleportar e até usá-la para curar ferimentos. Seria interessante uma série dos dois pois esta é uma área ainda não explorada pela Marvel (começará com Doutor Estranho) e isso mostraria aos fãs o que poderia ser feito pela Netflix com algo do naipe dos X-Men.

Justiceiro – The Punisher

Frank Castle também estreou na segunda temporada de Daredevil e a impressão deixada é a melhor possível. Veremos o personagem em breve e, segundo rumores, será em sua própria série, uma série que irá muito mais além do que qualquer uma das outras foi.

As histórias de Frank Castle são brutais, sendo que boa parte delas carrega o selo MAX. Sangue é o que vemos de mais comum. O Justiceiro não possui poderes e resolve tudo na base da bala, o que faz com que sua série seja a mais fácil de ser aprovada entre os personagens da lista. Algo fácil de fazer, brutal, e que os fãs querem, por que não?

Phobos

Phobos é um personagem bem recente e provavelmente desconhecido para a maioria dos fãs casuais. Sua primeira aparição foi na minissérie Ares: God or War de 2006 e, assim como Manta e Adaga, ele também representaria algo ainda não explorado pela Marvel.

Alexander Aaron é filho de Ares, o Deus da Guerra da mitologia grega, e é raptado pelo deus japonês Amatsu-Mikaboshi (que loucura). Alex acaba por beber o sangue de Amatsu-Mikaboshi e se transforma no Deus do Medo conhecido como Phobos.

Phobos tem poderes espetaculares que poderiam ser explorados pela Netflix da mesma forma que os de Kilgrave foram em Jessica Jones. Ele é capaz de mexer com a cabeça de seus inimigos deixando-os em pânico e até fazendo com que ataquem aliados, além de ser um exímio espadachim e ter resistência similar à dos Deuses do Olimpo.

Shang Chi

Shang Chi é um personagem interessante. Criado pela Marvel para aproveitar o sucesso da série Kung Fu de 1972 (estratégia é tudo), ele é conhecido como “O Mestre do Kung Fu” algo que o tornou muito popular devido às artes marciais que eram o assunto do momento na época.

Rumores apontam que o personagem estará em Marvel’s Iron Fist, onde se encaixaria muito bem já que Danny Rand também é exímio artista marcial. Uma série de Shang Chi poderia ser uma expansão do universo da Marvel, levando-o além dos filmes e séries de super-heróis e criando uma história inteiramente baseada no kung fu, com conexões com outras séries. Por que não reviver a glória de Bruce Lee e Jackie Chan com uma série exclusiva?

Howard, o Pato – Howard The Duck

Mais um personagem que figura nos selos MAX da Marvel, Howard The Duck já estreou no universo da Marvel na cena pós-créditos de Guardiões da Galáxia. Obviamente veremos mais dele em um filme, mas algo me diz que uma série do personagem não seria impossível e muito menos loucura.

Por focar tanto na realidade, talvez a Marvel precisa de algo que destoe completamente disso, que traga mais humor ao seu universo. A Netflix seria o lugar onde poderiam usar a mesma visão que Steve Gerber usou nas histórias do pato, com todo o mundo sendo estranho e Howard ser o mais normal de tudo.

Seria diferente, seria estranho, potencialmente ridículo, mas seria algo que ainda não vimos.

Blade

Herói cujos direitos retornaram para as mãos da Marvel novamente, Blade necessita que algo seja feito em seu nome. Por mais que seus filmes não tenham sido um sucesso de crítica, são amados por muitos fãs (curto demais o primeiro), o que já facilita e muito a vida da Marvel em trazê-lo para a Netflix em uma série própria.

Segundo rumores, Wesley Snipes estaria conversando com a Marvel para reprisar o papel de andarilho do dia e temos que admitir que ele seria muito melhor aproveitado em uma série do que com um filme. A violência e o clima obscuro das histórias de Blade se encaixariam bem no que a Netflix vem contruindo, sem falar que um super-herói que caça vampiros seria uma novidade entre as milhares de séries e algo muito menos arriscado, além de exigir um orçamento muito menor do que um filme.

Motoqueiro Fantasma – Ghost Rider

Assim como Demolidor, Elektra, Justiceiro e Blade, Motoqueiro Fantasma também retornou para as mãos da Marvel e tenho certeza de que algo referente ao anti-herói já está engatilhado. Conceitos de mágica, demônios e possessão ainda não são tão explícitos e a estreia de Doutor Estranho poderia ser o portão de entrada de Johnny Blaze.

Nos quadrinhos, Blaze vende a sua alma a Mephisto para salvar a vida de seu padrasto e acaba ligado ao demônio Zarathos que possui um insaciável desejo de vingança. Uma história que envolvesse o Motoqueiro e até um possível crossover entre ele e Blade seriam sensacionais de se ver numa série, além de também abrir a porta sobrenatural e estrear vilões como Mephisto e Blackheart.

Os poderes do Motoqueiro Fantasma são suficientes para enfrentar e vencer o Hulk. Just saying.

Todos estes personagens possuem histórias violentas e diferentes do que a Netflix e a Marvel apresentaram até hoje. Não há dúvidas de que a Casa das Ideias utilizará muitas delas nos próximos anos e talvez uma série seja o lugar de cada um destes personagens, que já provaram mais de uma vez que o cinema nem sempre é a única saída para adaptações e nem o mais correto.

Faltou alguém? Estes são os que estão mais frescos na minha memória, mas com certeza há muitos mais que podem ser usados pela Netflix, que já se mostrou ser uma ótima saída para adaptações dos quadrinhos.

Quem sabe não vejamos personagens da DC e outras publishers lá no futuro? Eu gostaria muito de ver uma série dos G.I. Joe no serviço.

Publicado por
Tags: Netflix

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade