Uma das cenas mais brutais do mangá de Naruto foi censurada no anime clássico

Naruto tem tudo que uma série de animação infantil precisa para fazer sucesso: personagens estilosos, habilidades únicas e muita pancadaria.

Porém, algumas passagens do mangá são tão pesadas que podem fazer até os mais marmanjos ficarem de queixo caído devido a grande quantidade de violência mostrada. É o caso de um dos confrontos do exame Chuunin, que teve um desfecho bem diferente no Anime.

Zaku Abumi era um ninja capaz de disparar rajadas de ar comprimido pelos braços, através de fendas localizadas nas suas mãos. No anime, o personagem acabou tendo seus braços feridos e logo acabou sumindo para nunca mais ser mostrado.

Entretanto, no mangá a coisa foi bem diferente.

Durante o confronto com Shino, Abumi teve seus braços amputados de maneira violenta. Na tentativa de parar o oponente, Shino fez com que seus insetos entupissem as fendas na mão de Abumi, fazendo com que a pressão resultasse numa grande explosão. Como se isso não fosse destino desgraçado o suficiente, o pobre Zaku Abumi ainda teve seu corpo utilizado como sacrifício no Edo Tensei de Orochimaru.

Com toda a certeza, a mudança nos acontecimentos foi muito bem vindo na transição do mangá para o anime.

Naruto Shippuden foi exibido entre os anos de 2007 e 2017 e contando a segunda fase do anime. Nela, Naruto retorna após dois anos de treinamento com a missão de combater a Akatsuki e então resgatar Sasuke das garras de Orochimaru.

Ao todo, o anime tem 500 episódios (incluindo os fillers de Naruto Shippuden), e finaliza a história de Naruto, Sasuke, Sakura e Kakashi. Além disso, o anime prepara o terreno para a continuação direta da história.

Você pode acompanhar Naruto na íntegra no Crunchyroll. Além dele, o serviço conta com com Naruto clássico e Boruto: Naruto Next Generations, sua continuação direta.

Acesse o site por este link e então ganhe 14 dias de premium gratuitos em uma nova conta.

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade