Criador de Evangelion denúncia os abusos cometidos pela Gainax e como o estúdio “sujou” o nome da sua obra

Embora seja um dos animes mais aclamados e influentes de todos os tempos, não é segredo para ninguém que a produção de Evangelion passou por diversos problemas financeiros causados principalmente pela má administração do estúdio Gainax, que recentemente teve até um dos seus diretores preso.

Agora, o criador de Evangelion, Hideaki Anno, compartilhou através do Diamond Online um longo artigo falando sobre a sua situação atual, a relação passada com a Gainax e como o estúdio acabou “sujando” o nome da sua obra.

Como o artigo só está disponível em japonês, esse texto foi escrito com base nas traduções feitas pelo usuário @otter775 e pela Crunchyroll.

Primeiramente, Anno começa o artigo prestando os seus sentimentos às vítimas do atual presidente da Gainax, Tomohiro Maki, que foi acusado e preso por “indecência semi forçada” no último dia 5 de dezembro. Anno ainda afirma que se sente desapontado pela situação da Gainax, estúdio que ele ajudou a criar, e mais ainda pela associação do nome Evangelion a essa pessoa.

Anno explica que atualmente “não há ninguém envolvido na produção de Evangelion que esteja na Gainax”, e que “a pessoa que foi presa era alguém que se juntou a Gainax apenas alguns anos atrás e nunca esteve envolvido com Evangelion”.

Justamente por isso, Anno contesta as notícias que de forma equivocada ou até maldosa associaram o diretor ao nome Evangelion, esclarecendo que os únicos responsáveis pela franquia atualmente são a Khara, estúdio do qual ele é o fundador.

“Quero protestar contra essas reportagens em nome dos criadores. A empresa responsável por Evangelion atualmente é a Khara, cujo presidente sou eu. Se você só noticia algo como ‘Presidente da empresa que criou Eva é preso’, pessoas acharam que eu havia sido preso”

“Como presidente da Khara, e diretor e escritor de Evangelion, eu tenho a responsabilidade de proteger minha obra e funcionários. Então, eu também estou desejando que pessoas não usem mais o nome da Gainax e Evangelion dessa forma, que não envolvam mais as pessoas e organizações.”

No restante do artigo, que conta com oito páginas, Anno detalhe a sua complicada história com o estúdio que ajudou a criar, desde as dificuldades financeiras há má administração depois do sucesso da sua obra, passando por atrasos nos pagamentos e até um suposto esquema lavagem de dinheiro.

Entre 2014 e 2016 Anno explica que emprestou cerca de 100 milhões de ienes para Hiroyuki Yamaga, o então presidente da Gainax, para manter o estúdio funcionando. Segundo Anno “[Yamaga] era meu amigo dos dos tempos de escola, e eu queria ajudar uma empresa que estava em dificuldades, como alguém que parte da indústria de animação. Foi também uma maneira de retribuir à empresa que cuidou de mim por tanto tempo”.

Anno ainda aborda a decisão de fazer Evangelion na Gainax, revelando que inicialmente não era a sua primeira opção, já que ele tinha ressalvas que o estúdio não acompanhasse o ritmo de trabalho. Mas depois de falar com o presidente da Gainax na época, Takeshi Sawamura, os dois decidiram fechar uma parceria com a Tatsunoko Production para produzir o anime.

No entanto, após o gigantesco sucesso Evagelion, Anno conta que todo o dinheiro do licenciamento da obra acabou sendo mal administrado pela Gainax, que não pagava devidamente os animadores e em 1999 sonegou quase 1,5 bilhão de ienes, tendo sido pego pela Tokyo Regional Taxation Bureau – o equivalente a Receita Federal no Brasil.

Com todos esses problemas e Anno não se sentido mais confortável em trabalhar com a Gainax, o diretor achou melhor fazer os filmes de Evangelion “em algum outro lugar”, mas como não encontrou outro estúdio em que pudesse confiar totalmente, ele decidiu criar a Khara “para controlar o custo de produção, fornecer salários adequados para funcionários e funcionários e retribuir àqueles que trabalharam duro se o projeto fosse realizado”.

João Victor Albuquerque

Formado em Sistemas de Informação, que no final da faculdade resolveu se meter nesse mundo do jornalismo. Apaixonado por joguinhos, filmes, animes e sempre atrasado com as séries.