Categorias: Anime

5 cenas de Naruto que foram censuradas fora do Japão

A versão em anime de Naruto trouxe uma verdadeira legião de novos fãs à obra de Masashi Kishimoto, e portanto foi apenas uma questão de tempo até que ele saísse do Japão e começasse a ser televisionado em outros países.

Porém, a versão clássica do anime de Naruto não conseguiu escapar das censuras da mídia, o que acabou criando algumas cenas um tanto quanto estranhas.

No post de hoje, separamos cinco cenas que foram censuradas no anime de Naruto. Confira:

Um massacre sem corpos

O massacre do clã Uchiha é uma das cenas mais marcantes de todo o anime, porém ela é bem menos impactante na versão americana (que também é a versão que recebemos aqui no Brasil). Nesta versão, todos os cadáveres dos Uchiha foram retirados das cenas, o que faz com que ela perca o sentido, já que Sasuke andando pela vila confuso, mas sem motivo algum.

Reação de pervertidos

Assim como em vários outros animes, quando um personagem pervertido reage a algo “bom demais para ser verdade” com um jato de sangue pelo nariz.

Era comum nós vermos Jiraiya e Ebisu ter esta hemorragia absurda quando viam mulheres seminuas. O sangue destas cenas foi completamente removido nos EUA. Naruto tinha duas opções se quisesse passar pela aprovação dos EUA: ou o sangue destas cenas era completamente removido, ou as cenas em si eram removidas. Com o passar do tempo, estas cenas passaram a ser muito menos frequentes, não dando tanto trabalho para a censura.

Muita violência gráfica

Durante a luta entre Kakashi e Zabuza, Haku consegue abrir uma brecha para que Zabuza escape. Quando está claro que Kakashi está vencendo a luta, Haku interfere. Vestido como um agente da Anbu, Haku atira várias agulhas em Zabuza, dando a impressão de que ele tivesse morrido. Mas acontece que Haku é um especialista em agulhas, e sabia exatamente onde atirá-las em Zabuza para não causar nenhum dano letal. Para dar uma noção do quão Haku era experiente, haviam agulhas até no pescoço e garganta de Zabuza.

Quando Zabuza acorda, ele começa a retirar as agulhas uma por uma. No japão, a cena não foi retirada do anime, mas foi censurada nas versões americanas. A parte onde Zabuza tira as agulhas da garganta e do pescoço foi cortada.

O sangue da primeira luta

O primeiro capítulo no mangá de Naruto é bem violento. Isto acabou gerando um problema para a versão americana do anime, já que na produção da dublagem americana, várias cenas da luta entre Iruka e Mizuki foram alteradas porque os produtores achavam que tinha muito sangue nelas.

O problema da cena é que parece que ficou mal feita. Quando o sangue aparecia de uma certa distância, ok. Mas qualquer cena em que dá para ver o sangue mais de perto, ele foi retirado, o que acaba gerando erros de continuidade que não existiam na versão original.

No pescoço não

Zabuza não foi o único a ser atingido pelas agulhas de Haku. Sasuke também recebeu uma boa quantia delas no corpo ao proteger Naruto da morte. A cena faz parecer que Sasuke morreu, fazendo Naruto ficar com tanta raiva que fica possuído pela chakra da Kyuubi. Mais tarde, Haku deixa claro que errou os pontos vitais de Sasuke de propósito, assim como os de Zabuza.

A cena passou para a versão americana do anime, mas com menos agulhas e muito menos sangue. E assim como no caso de Zabuza que mencionamos acima, todas as agulhas no pescoço de Sasuke também foram removidas da versão americana.

––

Naruto Shippuden foi exibido entre os anos de 2007 e 2017, contando a segunda fase do anime. Nela, Naruto retorna após dois anos de treinamento com a missão de combater a Akatsuki e resgatar Sasuke das garras de Orochimaru.

Ao todo, o anime conta com 500 episódios (incluindo os fillers de Naruto Shippuden), finalizando a história de Naruto, Sasuke, Sakura e Kakashi e preparando o terreno para a continuação direta da história.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchyroll, juntamente com Naruto clássico e Boruto: Naruto Next Generations, sua continuação direta.

Acessando o site por este link, você ganha 14 dias de premium gratuitos em uma nova assinatura.

Este website utiliza cookies