Você provavelmente já viu e até participou de discussões sobre eSports serem ou não “esportes de verdade” (daqueles que a gente corre, pula, etc e tal), mas até que ponto um eSport pode substituir uma atividade física? No Colégio CPV, de São Paulo, um dos quatro períodos semanais de educação física pode ser substituído por aulas de League of Legends.

A ideia partiu da sugestão do aluno Erik Bonn, de 14 anos, que está no oitavo ano da escola. Segundo ele, a sugestão surgiu porque ele não gosta de fazer educação física, e ele nem acreditou que a ideia seria aceita pela escola, mas, no fim das contas, acabou sendo e atraindo um monte de outros colegas para a aula.

Caso isso não aconteça no seu colégio, em algumas escolas é possível trocar um ou mais períodos de educação física por aulas diferentes, como xadrez e outros jogos de raciocínio, então, no fim das contas, dar aulas de League of Legends foi uma alternativa interessante encontrada pela escola para manter o interesse dos alunos no período.

Como é de se esperar, muita gente nunca jogou o jogo na aula, e, no primeiro dia, acaba ganhando um tutorial dos professores, além de missões como “Matar 50 inimigos”, “Acumular 1500 de ouro” e assim por diante.

Segundo o professor de educação física da escola, a ideia é extremamente válida pois os eSports estão em franca expansão, mas isso não substitui um exercício físico, que continua sendo essencial para o desenvolvimento e para a saúde das pessoas.

A matéria completa sobre a aula pode ser conferida no Uol.


Hey, psiu! Estamos sorteando uma Skin M9 Bayonet | Doppler para CS:GO. Vai perder essa?



Sorteio Critical Hits + Skincrates - M9 Bayonet | Doppler

Você já faz parte do nosso Grupo no Facebook? Faça já parte e interaja com os redatores e outros leitores do site! Link para o grupo: https://www.facebook.com/groups/criticalhitscombr/

Gostou? Compartilhe!


Torne-se um patrão do site!

Você sabia que ao tornar-se um patrão do Critical Hits, você ajuda o site a continuar crescendo e ainda ganha vantagens exclusivas como acesso a um design mais clean sem propagandas, Critical Cast 5 dias antes de todo mundo e acesso ao nosso grupo secreto no Facebook/Whatsapp? Torne-se já um patrão você também!

Você já ouviu o Critical Cast dessa semana?


Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.



  • Gabriel Meiser

    Eu jogo league direto desde que lançou tenho 28 anos, trabalho fixo, tarefas domesticas e etc.
    Mas isso ai já é sacanagem, vai atrofiar as crianças….eu n acho uma boa ideia

    • Luis Henrique Fossalussa

      é só um período bro, além de que o exemplo que o futebol dá é muito ruim, principalmente no Brasil. nos eSports a galera tende a pelo menos parecer mais politicamente correta, o que pode ser uma boa influencia na competitividade da criançada

    • Eder Rincon

      depende de como for trabalhado, ali parece nao ser livre e solto, os professores parecem ter um objetivo a ser trabalhado, lembre-se ed. física também tem aula teorica e aulas de xadrez e coisas do genero, nao vejo problema no e-esporte mas tudo deve ser analisado com cuidado

    • UniversoExobyte

      Não obstante,entre LoL e Xadrez não tem nem como comparar falando sobre raciocínio lógico.É difícil falar sobre isso porque alguns dirão que LoL trabalha raciocínio lógico e outros dirão que Xadrez também,entretanto,isso não significa que jogar LoL vai fazer as crianças desenvolverem muito suas capacidades cognitivas.Eu pessoalmente não acho que coletar ouro e decidir qual item formar fará aumentar a capacidade de alguém como o Xadrez.Sem ofensa aos jogadores de LoL.

  • Robson Fin

    agora acredito que posso virar professor kkkkk