A Razer é conhecida com uma das maiores marcas de acessórios para jogos competitivos, mas como ela se sai na entrada de linha? Hoje, analisamos um kit que pode ser considerado um “starter pack” da Razer, contendo o Mouse Razer Abyssus 2000 e o Mousepad Razer Goliathus Speed Terra.

Antes de começar o review de fato, eu vou falar um pouco sobre o mouse que eu usava até então e como foi a sensação de mudança. Até mudar para o Abyssus 2000, eu usava um Razer Imperator de 2012, por isso, boa parte desse review vai ser comparando ambos os mouses, e mostrando como esse mouse de entrada da Razer se compara a um mouse um pouco mais caro e com mais recursos.

A primeira sensação que eu tive ao pegar o Abyssus foi o tamanho dele. Ele é um pouco menor e menos ergonômico que o Imperator, além de não contar com os botões da esquerda nem os botões de sintonia de resolução próximo ao scroll. A falta desses botões auxiliares não chegou a ser algo que me fez sentir falta, afinal, basta configurar uma tecla no teclado para usar comandos de voz, por exemplo.

A maior estranheza mesmo foi no tamanho do mouse, que, por ser menor do que o anterior e mais arredondado do que o anterior, acabou encaixando-se de maneira diferente na minha mão. Eu não sou alto e não tenho mãos gigantes, então quem tiver mãos grandes pode acabar não gostando muito de como ele se encaixa, mas com o tempo você se acostuma e ele passa a funcionar bem.

Os primeiros dias com o mouse foram todos de configuração. Felizmente, o Abyssus tem total compatibilidade com o Razer Synapse, que conta com uma função de copiar as suas configurações de outro mouse para ele, e eu pude importar as minhas configurações de sensibilidade do Imperator para o Abyssus, diminuindo assim o tempo para adaptação ao novo mouse. Depois disso, foi só se acostumar com ele na mão mesmo, e isso levou uns 2 ou 3 dias de Counter Strike.

E o que deu pra notar com o mouse? Ele cumpre bem ao que se propõe. O mouse não tem muitas opções de sensibilidade, e vai até 2000 DPI apenas, então, para quem usa um DPI mais alto do que isso no mouse, pode ser um problema, mas como eu estou acostumado a ficar nos 1200, ele acabou se encaixando perfeitamente às minhas necessidades.

Finalmente, cliques do mouse são bastante precisos, e o arrasto da movimentação do mouse também não deixa em nada a desejar, em conjunto com o Goliathus Speed Terra, que é pensado exatamente para isso, para possibilitar um deslizamento mais rápido para os jogadores e proporcionar aqueles reflexos rápidos que volta e meia acontecem nas partidas.

Mas e aí, vale a pena?

No geral, apesar de não ter cara de “Mouse Gamer” como outros mouses mais baratos têm por contar apenas com 3 botões e um design mais de mouse padrão, o combo Abyssus + Goliathus
Terra Speed é uma combinação bastante confiável e efetiva, e conta com um bom custo benefício para quem quer fugir da vida de mouse não gamer e não quer desembolsar uma grande quantidade de dinheiro.

Como eu disse no começo do review, eu estava acostumado a usar o Razer Imperator antes do Abyssus e, depois de um pequeno tempo de aclimatação, ele não deixou saudades.

Nota: 7,5/10

Curta o Critical Hits no Facebook e receba todas as nossas postagens:

Gostou? Compartilhe!


Torne-se um patrão do site!

Você sabia que ao tornar-se um patrão do Critical Hits, você ajuda o site a continuar crescendo e ainda ganha vantagens exclusivas como acesso a um design mais clean sem propagandas, Critical Cast 5 dias antes de todo mundo e acesso ao nosso grupo secreto no Facebook/Whatsapp? Torne-se já um patrão você também!

Você já ouviu o Critical Cast dessa semana?


Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.