A franquia Metal Gear é uma das mais importantes, influentes e com um dos fandoms mais exigentes do mundo dos games, e era de se esperar que todo mundo olhasse torto para Metal Gear Survive quando o jogo foi anunciado, afinal de contas, esse é o primeiro projeto da Konami após o divórcio nada amistoso da companhia com o idealizador da franquia, Hideo Kojima. Será que a companhia consegue mostrar nesse título que a franquia vai estar em boas mãos ou ela decepciona? Vamos descobrir agora.

Em Metal Gear Survive, você controla um soldado da Mother Base que foi transportado para uma dimensão paralela durante os eventos que estão entre Metal Gear Solid V: Ground Zeroes e Phantom Pain, ou seja, os dois últimos jogos lançados na franquia. Nessa nova dimensão, chamada de Dite, você descobre que precisa recriar o buraco de minhoca que te colocou nesse local para conseguir voltar pra casa, e que esse mundo foi dominado por mortos vivos que provavelmente não vão ser lá muito amistosos com você.

Logo de cara, o jogo te ensina que ele não quer que você seja o John Rambo da sobrevivência, e que você deve ser sutil para enfrentar esses mortos vivos, seja emboscando eles por trás, seja colocando objetos entre você e eles, como cercas, bancos de areia e assim por diante. O motivo disso é bem simples, você morre com três ou quatro porradas dele, e morrer não é uma experiência lá muito legal no jogo.

Apesar da cutscene inicial ser bem grande, o jogo não apresenta lá muita história, e praticamente não tem nenhum desenvolvimento de personagens. Basicamente, o que você precisa ficar fazendo é indo atrás dos fragmentos de memória das inteligências artificiais que servem como o seu comandante aqui, procurando por sobreviventes e por outros buracos de minhoca que ajudem você a se locomover pelo terreno do local. E, claro, sobreviver, afinal, o nome do jogo é Metal Gear Survive.

A sobrevivência é um dos pontos centrais de Metal Gear Survive, e, olha, sinceramente, ela é um dos principais pontos fracos do jogo. Pode parecer legal nos primeiros instantes de Metal Gear Survive sair atrás de comida e de água para o seu personagem não morrer de fome nem de sede, mas logo essa atividade paralela se prova mais um empecilho em jogar o game do que algo que agregue.

O seu personagem constantemente passa sede e fome, e não importa que você coma dois bodes inteiros, ele vai ter fome logo na sequência. Basicamente, o jogo calculou os recursos no começo do jogo para que você faça uma missão principal, uma ou duas de coletas de recursos e repita esse processo, mas há tão pouca margem para erro que se você ficar mal de comida ou de água no meio de uma missão, você corre o risco de ter que fazer tudo de novo porque você não tem uma poupança de água ou de comida.

Eu não sou contra mecânicas de sobrevivência em jogos, mas sinceramente, as mecânicas de Metal Gear Survive são na verdade uma bola de ferro atada à perna do jogador que faz ele perder muito tempo e inflar artificialmente o tamanho do jogo. É simplesmente ridículo a quantidade de comida e de água que o soldado precisa consumir para se manter bem. Em questão de meia hora ele já está morrendo de fome e sede (quase que literalmente) e você precisa sair atrás de mais recursos para depois disso continuar a sua missão no jogo. Se o sistema fosse um pouco melhor balanceado, fazer essas atividades seria muito mais prazeroso.

E essa não é a única queixa que eu tenho ao jogo. Por causa desse sistema de fome e sede, você precisa na maioria das vezes, ainda mais no começo do jogo, quando você é fraco, fazer 2 ou 3 missões opcionais e ir direto pra missão principal antes de voltar pra base para salvar o jogo e se re-estocar de itens. Por causa disso, se você morrer durante a missão, azar o seu, meu amigo, você vai precisar fazer tudo de novo, jogando uns belos 40 minutos a uma hora de jogo no lixo por causa da sua morte.

O mais engraçado de tudo, se é que dá pra chamar de engraçado, é que quando você morre ou falha ao executar o objetivo, o jogo diz que se você reiniciar do checkpoint, você vai perder o seu save, e pergunta se você tem certeza que quer fazer isso. Só que ele não dá nenhuma opção além dessa, é pra jogar na cara mesmo que você perdeu tempo e que agora vai ter que fazer tudo de novo. O desânimo que isso dá e a vontade de atirar o jogo pela janela, ainda mais quando você morre mais de uma vez na mesma missão, são indescritíveis. Não dá pra acreditar que ninguém se deu conta desse problema em pleno 2018.

Além desses problemas de design de jogo, Metal Gear Survive não conta lá com muita variação nas missões. Basicamente é coletar mantimentos, ir até certas bases e fazer o que o jogo quer que você faça nelas. Defender os transportadores dos mortos vivos enquanto eles ativam, resgatar alguém e repetir isso à exaustão até ver a tela de créditos do jogo. A Konami bem que poderia ter investido mais em variabilidade dentro do jogo, já que há áreas onde até mesmo não há nada no cenário, e estão lá parece que só para dizer “veja como temos um mapa grande”.

Fora isso, o jogo ainda tem a cara de pau de querer cobrar dos jogadores mais 10 dólares para o caso de você querer ter um segundo personagem na sua conta. Sério mesmo, Konami? Não dá pra acreditar que vocês vieram com essa em pelo 2018. O mais bizarro dessa cobrança é que é basicamente pro jogo gravar no seu PC ou console. Não há nenhuma justificativa para essa cobrança sem cabimento, nenhuma.

Mas o que o jogo tem de bom afinal se até agora foram basicamente só reclamações? Assim, Metal Gear Survive não é chato, e chega a empolgar em alguns momentos, principalmente quando o jogo não resolve fazer você perder tempo deliberadamente pra durar mais. O problema é que tem certas horas que o jogo simplesmente parece querer ser difícil de uma forma burra só para ser difícil mesmo, estragando a experiência de uma forma que o gameplay agradável pode não compensar.

O jogo ainda conta também com desafios diários e semanais que vão te dando mais recursos para ir melhorando suas armas, craftando novas armas e equipamentos e ir dando upgrades na sua base, que lembra bastante o esquema da Mother Base de Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, mas aqui a base parece bastante sub-explorada.

Graficamente, Metal Gear Survive é um belo jogo, com inimigos com um design muito legal, personagens bonitos e bem animados e uma ação sem lags ou slowdowns, e o jogo também conta com uma trilha sonora legal, além de legendas em português e a opção de jogar com o áudio em japonês também.

Review elaborado com uma cópia do jogo para Xbox One X fornecida pela Konami do Brasil.

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Compartilhe