Mega Man sempre foi um dos principais personagens do mundo dos games, e a subsérie Mega Man X sempre foi a minha favorita dentro do universo do robozinho azul. Quando a Capcom decidiu lançar uma coletânea com todos os jogos dele para os consoles da atualidade, eu fiquei feliz da vida, afinal de contas, se tem uma coisa da qual o mundo nunca vai ficar cheio, é Mega Man X. Como será que esses jogos se portam diante do teste do tempo? É o que descobriremos abaixo.

Em Mega Man X Legacy Collection 1+2, você não tem uma, mas duas coletâneas. A coletânea Mega Man X Legacy Collection 1 conta com os Mega Man X do 1 ao 4, e a coletânea Mega Man X Legacy Collection 2 conta com os jogos do 5 ao 8.

Todos os jogos foram devidamente remasterizados para os consoles da atualidade, ou seja, PS4, Xbox One e Nintendo Switch, além do PC, e todos os jogos contam com algumas opções gráficas, como filtros semelhantes aos usados nos emuladores que eram necessários para rodar alguns desses jogos caso você não tivesse o console para o qual eles fossem lançados, ou ainda a opção de rodar o jogo purão, sem nenhum tipo de filtro com toda a beleza que o pixel art dos primeiros Mega Man X permite. Eu particularmente sou um purista e prefiro rodar os jogos dessa forma, mas tem quem prefira rodar com filtros, então cada um com a sua tribo.

Dentro dos aspectos técnicos da coletânea não há muito o que falar além disso. Todos os ports são totalmente fiéis aos jogos originais, sem nenhum tipo de input lag ou de engasgos ou de carregamentos, o que sempre é bem legal de ver. É basicamente pegar, jogar e se divertir.

Um detalhe importante ainda que vale ser mencionado do lado técnico é que é possível salvar em todos os jogos, até mesmo nos que não possuíam bateria para save e funcionavam na base do password, como Mega Man X. Essa novidade é muito bem-vinda, afinal de contas, anotar Password em 2018 é algo meio anacrônico, não é mesmo? Bom, então fique sabendo que na hora que você carrega o save, o jogo digita o password equivalente ao momento em que você se encontra no jogo. Nostalgia pura.

Mas o que falar dos jogos entre si? Bom, aqui é que o bicho pega. A primeira coletânea, contendo os Mega Man X de 1 ao 4 é de longe a melhor parte do pacote. Se você tiver dinheiro para comprar apenas uma, compre a coletânea de número 1, afinal de contas, ela vem com os melhores jogos sem sombra de dúvidas. Eles, além de serem os melhores, envelheceram muito bem, principalmente se comparados a Mega Man X7 e Mega Man X8 e ao fato de que Keiji Inafune teoricamente havia terminado a história de Mega Man X no capítulo X5.

No final das contas, o meu palpite é que você vai gostar da maioria dos jogos, ainda que os últimos da segunda coletânea tenham muito mais apelo por causa da nostalgia do que por causa dos games em si, e é exatamente por isso que eu falei acima que, se você pode comprar apenas um dos dois jogos, fique com o primeiro, já que ele vem com o filé do boi.

Além dos jogos em si, cada coletânea conta com uma opção de diminuir a dificuldade dos games, para o caso de você precisar daquela forcinha para terminá-los, um modo X Challenge, que coloca você contra dois chefes em sequência com equipamentos limitados e alguns outros detalhes para fazer a sua vida mais difícil. Essa aqui é a grande novidade em termos de conteúdo da coletânea, além de um museu com modelos, ilustrações e afins de cada um dos jogos.

Mas e aí, Mega Man X Legacy Collection 1+2 vale a pena?

Sim! Mega Man X Legacy Collection 1+2 é uma coletânea que traz todos os jogos da subsérie Mega Man X, uma das melhores séries dos anos 90 e meados dos anos 2000 em sua forma mais pura, além de contar com a novidade chamada X Challenge e galerias com imagens, modelos e afins dos jogos. Como os oito games foram lançados em duas, e não uma coletânea, vale ressaltar que a primeira delas conta com os melhores jogos, então se você só pode optar por uma, compre a Mega Man X Legacy Collection.

Eric Arraché Gonçalves é o Fundador e Editor do Critical Hits. Desde pequeno sempre quis trabalhar numa revista sobre videogames. Conforme o tempo foi passando, resolveu atualizar esse sonho para um website e, após vencer alguns medos interiores, finalmente correu atrás do sonho.

Compartilhe