Conheça a primeira versão do mangá de Naruto criada por Masashi Kishimoto

A indústria de mangás pode ser extremamente cruel as vezes. Mesmo quando um aspirante a mangaká ou até mesmo um mangaká famoso tem uma grande ideia e acredita que ela fará muito sucesso, existem mais chances desta ideia ser rejeitada do que o contrário.

É muito improvável que um autor tenha sua primeira ideia aprovada, e Masashi Kishimoto não é uma exceção.

A ideia original de Kishimoto não era criar um mangá Shonen sobre ninjas, mas ele acabou tendo que modificar sua ideia para receber o selo de aprovação da Shonen Jump.

Uma das primeiras informações reveladas sobre a franquia Naruto em entrevistas com Kishimoto e livros sobre o mangá foi que a ideia do autor não tinha praticamente nada a ver com o produto final.

Na verdade, a ideia original de Kishimoto era que Naruto fosse um aprendiz de chef. Com o decorrer da obra, tanto Naruto quanto o chef iriam resolver suas diferenças e aprender a trabalhar juntos em um restaurante de ramen.

Apesar de ter sido rejeitada, alguns aspectos da ideia original foram mantidos, como o amor de Naruto por Ramen, e o nome do personagem, que vem de um bolo de peixe servido junto com ramen.

Naruto Shippuden foi exibido entre os anos de 2007 e 2017, contando a segunda fase do anime. Nela, Naruto retorna após dois anos de treinamento com a missão de combater a Akatsuki e resgatar Sasuke das garras de Orochimaru.

Ao todo, o anime conta com 500 episódios (incluindo os fillers de Naruto Shippuden), finalizando a história de Naruto, Sasuke, Sakura e Kakashi e preparando o terreno para a continuação direta da história.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchyroll, juntamente com Naruto clássico e Boruto: Naruto Next Generations, sua continuação direta.

Acessando o site por este link, você ganha 14 dias de premium gratuitos em uma nova assinatura.

David Brito

Fã de Roguelikes e J-RPGs, David passa a maior parte do seu tempo livre testando novos jogos e lembrando a todos o quanto ele ama a franquia Persona.

Publicado por

Este website utiliza cookies. Para mais informações, consulte nossa política de privacidade.

Leia nossa política de privacidade